Mercado abrirá em 3 hs

AB InBev registra forte queda no lucro no 2º trimestre por coronavírus

Logotipo da AB InBev na entrada da sede do grupo em Leuven (Bélgica), em 25 de fevereiro de 2016

O grupo de capital belga e brasileiro AB InBev, líder mundial do setor de cervejas, anunciou uma queda expressiva do lucro no segundo trimestre e advertiu que a pandemia de COVID-19 pode ter um grande impacto negativo em sua situação financeira.

O lucro líquido de abril a junho foi de 351 milhões de dólares, contra 2,484 bilhões de dólares no mesmo período em 2019.

O grupo, que reiterou no fim de março a totalidade de suas perspectivas para 2020, registrou perdas no primeiro trimestre devido à crise de saúde.

A empresa com sede em Leuven registrou uma depreciação de seus ativos por 2,5 bilhões de dólares na África, compensada parcialmente com a venda de atividades na Austrália por US$ 1,9 bilhão.

"Nossos resultados do segundo trimestre foram impactados de maneira considerável pela pandemia de COVID-19", destaca a empresa, que possui as marcas Budweiser, Stella Artois e Corona, entre outras, em um comunicado.

"Nossa empresa, nossa situação financeira, nossos fluxos de caixa e nossos resultados operacionais foram e provavelmente continuarão sendo impactados de maneira negativa pela pandemia de COVID-19", completa a nota.

O excedente bruto operacional Ebitda, que serve de referência para previsões internas, caiu 34,1% durante o trimestre, a 3,414 bilhões de dólares.

A AB InBev considera. no entanto, que está "bem posicionada para uma forte recuperação", em particular por sua "presença geográfica diversificada" e seu "portfólio" de cervejas no mundo.

"Temos o privilégio de estar no topo do setor mundial de cervejas, uma categoria que sobreviveu a muitas crises e continuará prosperando muito depois da crise atual", conclui a empresa.