Mercado fechado

'A Dona do Pedaço' e o que o público ainda não entendeu na novela que termina nesta sexta (22)

Juliana Paes como Maria da Paz em 'A Dona de Pedaço' (Foto: Divulgação/TV Globo)

Prometia, mas cumpriu? 'A Dona do Pedaço' termina nesta sexta-feira (22). Depois do fiasco de ‘O Sétimo Guardião', a novela empolgou e parecia muito promissora, mas, apesar do sucesso de audiência, a trama foi muito criticada pela crítica especializada. Não sem razão. Até o maior dos entusiastas de Vivi Guedes (Paola Oliveira) e Maria da Paz (Juliana Paes) passou raiva em algum capítulo.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

A história foi se perdendo, muita coisa não se explicou e muitas das explicações simplesmente não fizeram nenhum sentido. Yahoo! listou algumas dessas inconsistências, incoerências, e outras questões que forçaram a amizade do público com o autor Walcyr Carrasco.

Leia também


A trama da Vivi Guedes (Paola Oliveira) parou de fazer qualquer tipo de sentido. Ela está presa pelo ex-namorado Camilo (Lee Taylor), um cara com quem, vamos lembrar, no começo da novela ela se relacionava há anos e anos, e de repente virou um absoluto psicopata sem aviso prévio. E ele a mantém como refém há muitos capítulos. Todo mundo sabe. Chiclete (Sérgio Guizé) sabe, sua mãe sabe, seu pai sabe, sua avó sabe e ela continua lá, presa, sem chamar a polícia. Uma trama mal construída, que se alongou com uma justificativa absurda, de que ela não pode denunciar o marido para que ele não entregue o amante que ela ama. Forçado.


Best Cake - O reality show sem câmeras

Foto: Reprodução/Globo


A ideia do reality show dentro da novela foi boa, atual, trouxe nomes legais, como a Angélica, o Dudu Bertholini e a Carole Crema e mostrou a Vivi Guedes fazendo alguma coisa como influenciadora, para variar. Mas acreditar que a Dona Céu (Dja Marthins) iria sabotou a Maria da Paz ao longo do reality show inteiro sem que houvesse nenhuma única câmera para flagrar o que acontecia ficou puxado. Maria da Paz também teve que contar com um piriri de Vivi Guedes para conseguir levar o prêmio, quase um tapetão.

Yohana - A investigadora carente

Foto: Reprodução/Globo


Yohana (Monique Alfradique) chegou na novela para ajudar Camilo (Lee Taylor), o investigador incompetente, a entender que Josiane era a responsável pelas mortes de Jardel (Duio Botta) e seu namorado. Tão logo ela apareceu, desenvolveu uma paixonite surgida do nada para lugar nenhum por Téo (Rainer Cadete), o fotógrafo masoquista. Quando ela percebeu que ele, apesar de quase ter sido morto pela ex Josiane não uma, mas duas vezes, ter afirmado ainda gostar dela, largou mão do boy, o superou em tempo recorde e, capítulos depois, estava comendo japonês com Márcio (Anderson Di Rizzi), que já falava de casar. Parece que ela entrou na novela precisando arranjar um marido. Talvez o trabalho na polícia seja muito estressante e ela precise de férias ou só de terapia mesmo.

Joana - O que veio fazer na novela?

Foto: Reprodução/Globo


A personagem de Joana (Bruna Hamú) conheceu Maria da Paz no meio da rua, ajudando a boleira depois de um assalto. A conexão foi imediata entre as duas e tudo levava a crer que ela seria a verdadeira filha de Maria da Paz, mas não. O DNA foi negativo e todo o público se perguntou: o que Joana foi fazer na novela então? A personagem, que virou amiga de Maria da Paz, ficou sem propósito, sem enredo, sem finalidade além de pegar o Roque (Caio Castro).

Josiane e Régis convertidos - A quase novela religiosa das nove

Foto: Reprodução/Globo


A construção da personagem da Josiane (Ágatha Moreira) tem muitos tropeços em si. Por que ela tem tanto ódio de Maria da Paz? Em um primeiro momento, a justificativa era a de que ela sofreu bullying por ter sido chamada de "filha da boleira" na escola, mas ninguém vira um criminoso por isso. Foi, então, criada uma narrativa de psicopatia, que, ultimamente, foi substituída pela ideia de que ela é ruim por ter sangue dos Mateus, sua família paterna. Tudo meio esquisito.

Aos 48 do segundo tempo, já na prisão, foi a um culto neopentecostal e aí, pronto, em um passe de mágica encontrou na bíblia tudo o que precisava para se tornar alguém melhor e teve o trauma, a psicopatia e o bullying curados. Durante uma visita de Régis (Reynaldo Gianecchini), fala ao seu ex-amante e comparsa sobre a bíblia e ele, de forma simplista, se converte também. Pronto, viciado em jogo convertido também. Amém.

Eusébio e a mão nervosa

Foto: Reprodução/Globo



A trama de Eusébio (Marco Nanini) e a mão que tem vontade própria não tem nenhum propósito e, principalmente, nenhuma graça. Assim como todo o núcleo dele, que não vai deixar nenhuma saudade.

Fabiana e Rael, Kim e Téo - Amores que nascem do nada

Foto: Reprodução/Globo


Fabiana (Nathalia Dill) e Rael (Rafael Queiroz) já se conheciam antes e nunca havia rolado nenhum clima entre eles, mas, no penúltimo capítulo, ele apareceu no convento, fez uma proposta, ele topou e pronto: ficaram juntos. A mesma coisa com Kim e Téo, que se conhecem e trabalharam juntos a novela in-tei-ra sem nunca terem trocado um olhar, mas, no último capítulo, ficam juntos. Não que isso não possa acontecer na vida real, mas as histórias não tiveram construção e pareceram resolvidas às pressas.