Mercado fechado

Ações de varejo avançam com flexibilização de quarentena em SP

Por Paula Arend Laier

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - Ações de companhias voltadas ao varejo figuravam entre as poucas altas do Ibovespa nesta quarta-feira, tendo de pano de fundo a liberação do funcionamento do comércio na maior cidade do país.

A prefeitura de São Paulo anunciou na terça-feira que permitirá a reabertura de comércios de rua e imobiliárias na nova fase da retomada econômica em meio à pandemia de coronavírus, embora com funcionamento restrito.

Nesta sessão, o governo do Estado de São Paulo anunciou que comércio de rua e os shoppings centers poderão reabrir em todas as cidades da região metropolitana da capital paulista a partir de segunda-feira.

Por volta de 14:50, as ações da B2W subiam 5%, seguidas por Magazine Luiza, com alta de 3,75%; Via Varejo, com acréscimo de 2,7% e Lojas Americanas PN, que avançava 1,9%. No mesmo horário, o Ibovespa recuava 1,7%.

O alívio nas restrições ocorre em um momento no qual o Estado de São Paulo teve segundo dia seguido um recorde no número de mortes diárias por Covid-19.

Também na véspera, o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Cláudio de Mello Tavares, derrubou liminar que havia barrado a flexibilização da quarentena na cidade e no Estado.