Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.536,57
    -2.481,15 (-6,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Ações tocam novas máximas; setores imobiliário e de viagens lideram ganhos

·1 minuto de leitura
Gráfico do índice alemão DAX. 07/01/2016. REUTERS/Kai Pfaffenbach.

Por Sruthi Shankar e Shreyashi Sanyal

(Reuters) - As ações europeias atingiram novas máximas nesta terça-feira, impulsionadas por empresas de viagens e imobiliárias, mas dados fracos sobre a produção industrial alemã e dúvidas sobre a retirada de restrições no Reino Unido este mês limitaram os ganhos.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,08%, a 1.749 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,1%, a 454 pontos, depois de tocar uma máxima recorde durante a sessão.

Setores considerados mais estáveis, como o imobiliário e o de telecomunicações, lideraram os ganhos.

O subíndice de viagens e lazer saltou 1,8%, apoiado em grande parte por ganhos da transportadora de baixo custo easyJet, já que o Goldman Sachs recomendou compra da ação.

As ações alemãs fecharam em queda depois que dados mostraram uma queda inesperada na produção industrial em abril, em mais um sinal de que a escassez de semicondutores e outros gargalos na oferta estão prejudicando a recuperação na maior economia da Europa.

As preocupações dos investidores também foram alimentadas pela notícia do The Times de que a próxima fase de flexibilização do lockdown britânico poderia ser adiada por 15 dias em meio a preocupações com a disseminação de novas variantes da Covid-19.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,25%, a 7.095,09 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,23%, a 15.640,60 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,11%, a 6.551,01 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,06%, a 25.809,16 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,11%, a 9.153,60 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,53%, a 5.112,24 pontos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos