Mercado abrirá em 8 h 28 min

Ações europeias terminam no vermelho com incerteza sobre vírus

Por Ambar Warrick e Sruthi Shankar

Por Ambar Warrick e Sruthi Shankar

(Reuters) - Uma recuperação inicial provou ter vida curta para as ações europeias nesta terça-feira, já que não há fim à vista para o surto de coronavírus, como um salto nas infecções no bloco preocupando investidores já abalados pela queda dos preços do petróleo.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 1,01%, a 1.310 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 1,14%, a 336 pontos, afundando-se ainda mais em território baixista depois de registrar na segunda-feira seu pior dia desde a crise mundial de 2008.

Um surpreendente colapso nos preços do petróleo agravou preocupações sobre uma recessão devido ao surto e levou as ações de petróleo e gás à pior queda de todos os tempos na segunda-feira.

No entanto, com a Itália agora em quarentena e Reino Unido e Alemanha relatando mais casos de infecção, investidores têm pouco estímulo para permanecerem em ativos de risco, com a possibilidade de interrupções generalizadas por conta do vírus.

"Os operadores estão um pouco nervosos, a única notícia positiva que recebemos é provavelmente de reduções de juros ou impostos --precisamos de notícias em termos do controle real do vírus, que aparentemente não estamos tendo agora", disse Michael Baker, analista da ETX Capital.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,09%, a 5.960 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,41%, a 10.475 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 1,51%, a 4.636 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 3,28%, a 17.870 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 3,21%, a 7.461 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,70%, a 4.237 pontos.