Mercado fechará em 6 h 39 min
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,61 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,44 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    40,32
    +0,29 (+0,72%)
     
  • OURO

    1.911,70
    -17,80 (-0,92%)
     
  • BTC-USD

    12.901,93
    +1.844,92 (+16,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,62
    +15,73 (+6,42%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,97 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.786,86
    +10,36 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    24.786,13
    +31,71 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    23.474,27
    -165,19 (-0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.689,25
    -2,00 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6476
    -0,0024 (-0,04%)
     

Ações rondam estabilidade com balanços otimistas compensando incerteza sobre estímulo

Por Sruthi Shankar
·2 minutos de leitura
.
.

Por Sruthi Shankar

(Reuters) - As ações europeias pairavam perto de uma máxima em duas semanas nesta quarta-feira, com relatórios otimistas de balanços da britânica Tesco e da alemã Dialog Semiconductor ajudando a compensar as incertezas em torno de um novo pacote de estímulo dos Estados Unidos.

As ações asiáticas e os futuros de Wall Street também se recuperaram de perdas acentuadas provocadas pelo presidente dos EUA, Donald Trump, que cancelou abruptamente as negociações com parlamentares democratas sobre um pacote de alívio do coronavírus até depois da eleição. [.NPT]

Mais tarde, Trump apelou ao Congresso para que forneceça cheques de estímulo de 1.200 dólares para norte-americanos e outro tipo de apoio para companhias aéreas e pequenas empresas.

"Você pode ver isso em parte como uma tática de negociação", disse Craig Erlam, analista de mercado sênior da Oanda. "Você cancela as negociações agora na esperança de que os democratas cedam um pouco de terreno. Mas estou cético de que conseguiremos um acordo antes da eleição."

Às 8:06 (horário de Brasília), o índice FTSEEurofirst 300 caía 0,16%, a 1.414 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdia 0,16%, a 365 pontos.

O 'benchmark' atingiu uma máxima em duas semanas no início desta semana após notícias de progresso na saúde de Trump depois que ele testou positivo para a Covid-19, embora as negociações tenham estado agitadas em meio a incertezas sobre a eleição de novembro.

A maior rede de supermercados do Reino Unido, Tesco ganhava 2,2% após relatar um salto nas vendas e prever que o lucro operacional do varejo para o ano todo seja pelo menos o mesmo nível de 2019 e 2020.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuava 0,01%, a 5.949 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caía 0,40%, a 12.855 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdia 0,23%, a 4.884 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib tinha desvalorização de 0,23%, a 19.385 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrava baixa de 0,37%, a 6.910 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizava-se 0,02%, a 4.183 pontos.