Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.353,14
    +2.249,09 (+5,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Ações de luxo e matéria-prima levam a 3º dia de perdas no mercado europeu

·2 minuto de leitura
Bolsa de Londres

Por Sruthi Shankar e Susan Mathew

(Reuters) - As ações europeias recuaram nesta sexta-feira, com a queda nas exportações de minério de ferro da Rio Tinto prejudicando as principais mineradoras, enquanto os fortes ganhos de marcas de luxo foram ofuscados por preocupações sobre sua sustentabilidade em meio ao aumento de casos de Covid-19.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 0,38%, a 1.755 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,32%, a 455 pontos, revertendo os ganhos iniciais para terminar em baixa pela terceira sessão consecutiva, levando as perdas da semana para 0,6%. O índice do setor de mineração caiu 2,8%, já que a Rio Tinto teve queda de 3,4% após comunicar um recuo de 12% nos embarques trimestrais de minério de ferro antes dos balanços, arrastando outros grandes nomes como BHP e Glencore para quedas de 1,5% e 3,5%, respectivamente. [MET/L] As preocupações em relação à inflação mais alta e o aumento nas infecções por Covid-19 causando uma desaceleração na recuperação econômica pesaram na mente dos investidores essa semana, levando muitos a recorrer à segurança dos mercados de títulos e tornando mais difícil para ações em recorde de alta a obterem ganhos. Na próxima semana, as atenções estarão voltadas para a reunião do Banco Central Europeu (BCE), para ver se uma mudança de política monetária está nos planos do banco após sua recente atualização de estratégia. As ações de luxo recuaram com a Burberry caindo quase 5%, apesar das fortes vendas. Nenhuma mudança na projeção para o ano inteiro pode sinalizar que a melhoria não pode ser sustentada, disse um analista. Richemont também perdeu 0,9%, apesar dos fortes resultados, enquanto a LVMH, proprietária da Louis Vuitton, caiu 1,3%, e foi a que mais pesou no STOXX 600, ajudando a empurrar o CAC 40 da França para sua terceira semana consecutiva de perdas. Os setores defensivos foram os vencedores, com imóveis, serviços públicos e saúde subindo entre 0,5% e 1%, conforme as preocupações com o coronavírus permanecem.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,06%, a 7.008 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,57%, a 15.540 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,51%, a 6.460 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,33%, a 24.792 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,24%, a 8.506 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 1,58%, a 5.030 pontos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos