Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.823,25
    -412,51 (-0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.353,15
    +544,94 (+1,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    94,04
    +2,11 (+2,30%)
     
  • OURO

    1.801,40
    -12,30 (-0,68%)
     
  • BTC-USD

    24.185,26
    +564,37 (+2,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    573,07
    -1,68 (-0,29%)
     
  • S&P500

    4.207,34
    -2,90 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.337,13
    +27,62 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.465,91
    -41,20 (-0,55%)
     
  • HANG SENG

    20.082,43
    +471,59 (+2,40%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.310,00
    -82,00 (-0,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3206
    +0,0742 (+1,41%)
     

Ações do IRB caem após novo prejuízo elevar preocupação de analistas com nível de capital

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - O IRB Brasil RE divulgou na noite de quinta-feira prejuízo líquido de 273,1 milhões de reais em maio, contra lucro de 7,5 milhões um ano antes. A publicação aumentou preocupações de analistas com a situação de capital da empresa e derrubava o valor das ações do grupo nesta sexta-feira.

Por volta de 11h as ações do IRB caíam 6,4%, para 2,04 reais cada, a maior queda dentre os papéis do Ibovespa, que subia 0,31% no mesmo horário.

A deterioração da posição de capital do IRB, com potencial necessidade de novo aporte de recursos na empresa, vêm influenciando na queda das ações do ressegurador neste ano, período em que acumulam perdas de quase 50%.

O IRB disse que a despesa com sinistro cresceu 73,2% em maio, para 631,3 milhões de reais, enquanto a sinistralidade avançou de 73,2%, para 131,3%, segundo comunicado ao mercado com dados mensais preliminares. A empresa afirmou que a operação foi principalmente impactada pelo segmento agro.

O prêmio emitido recuou 3,7% em maio na base anual, para 564,2 milhões de reais, diante da queda de 27,4% no exterior e alta de 8,4% no Brasil.

Para analistas do BTG Pactual, "um aumento de capital pode ser necessário urgentemente", já que a companhia terminou o primeiro trimestre com "posição de solvência/capital apertada" e acumula prejuízo de 366 milhões de reais em abril e maio.

"Acreditamos que um aumento de capital é iminente, mas ainda não sabemos a que preço", escreveram analistas incluindo Eduardo Rosman em comentário a clientes. O BTG tem recomendação "neutra" para a ação.

As preocupações foram reiteradas por analistas do Citi, que têm recomendação de "venda" para o papel. Eles disseram que os dados mensais elevam os temores com o capital da empresa e "a insuficiência de capital é novamente uma grande preocupação para o IRB" em relatório assinado por Gabriel Gusan e equipe.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos