Mercado fechado

Ações do HSBC atingem menor nível em 25 anos após denúncia sobre falha em controles

Dow Jones Newswires
·2 minutos de leitura

Banco foi citado em investigação internacional que mostrou movimentações de instituições financeiras com recursos de atividades suspeitas As ações do HSBC atingiram o menor nível em 25 anos depois que notícias detalharam "relatórios de atividades suspeitas" apresentados por ele e outros grandes bancos às autoridades dos EUA, colocando nova pressão sobre uma ação que já caiu drasticamente este ano. Nesta segunda-feira, as ações do banco listadas em Hong Kong fecharam em queda de 5,3%, a 29,30 dólares de Hong Kong, o equivalente a US$ 3,78, e a menor cotação desde maio de 1995. As ações do HSBC listadas no Reino Unido também caem acentuadamente, em meio a uma ampla venda na Europa ações do banco. Por volta das 11h25, os papéis recuavam 4,14%. O BuzzFeed News, o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos e organizações de mídia parceiras publicaram relatórios no domingo citando documentos vazados que incluíam mais de 2.100 relatórios arquivados por instituições financeiras junto à Rede de Execução de Crimes Financeiros do Departamento do Tesouro dos EUA. O HSBC disse que "todas as informações fornecidas pelo ICIJ são históricas" e antecederam a conclusão do Departamento de Justiça em 2017 de que havia cumprido os compromissos de um pacto de acusação diferido. Esse acordo, firmado em 2012, exigia que o HSBC combatesse a lavagem de dinheiro em troca de suspender as acusações criminais. O banco disse que passou anos revisando sua capacidade de combater o crime financeiro. "O HSBC é uma instituição muito mais segura do que era em 2012", disse o órgão em um comunicado. As ações do HSBC e de muitos outros bancos despencaram este ano, à medida que a pandemia do coronavírus causou danos econômicos e forçou os bancos centrais a cortar as taxas de juros, o que tende a prejudicar os lucros dos bancos. Mesmo com a queda das ações do HSBC, há poucos sinais de alarme sobre a situação do bancos nos mercados de crédito. O custo anual de segurar US$ 10 milhões em dívidas do HSBC contra inadimplência era de US$ 67 mil na quinta-feira, de acordo com os preços de swap de crédito (CDS) rastreados pela Markit. Isso é menor do que o pico de US$ 125 mil em março e consideravelmente mais baixo do que os preços dos CDS em vários bancos europeus continentais. Pixabay