Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.241,63
    +892,84 (+0,74%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.458,02
    +565,74 (+1,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,37
    +0,01 (+0,02%)
     
  • OURO

    1.842,10
    +12,20 (+0,67%)
     
  • BTC-USD

    37.053,37
    +488,43 (+1,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    725,68
    -9,46 (-1,29%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.720,65
    -15,06 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    29.108,19
    +245,42 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.611,61
    +369,40 (+1,31%)
     
  • NASDAQ

    12.878,50
    +76,25 (+0,60%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4019
    +0,0066 (+0,10%)
     

Ações de fabricantes de vacinas de menor porte superam gigantes

Morwenna Coniam
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Investidores que apostam no sucesso da corrida para o desenvolvimento de vacinas contra o coronavírus agora percebem que, quanto menor, melhor.

As ações da BioNTech, a startup alemã que desenvolve uma vacina com a Pfizer, quase triplicaram neste ano, enquanto os papéis de sua parceira americana mostram queda de cerca de 1%. E o preço da ação da Moderna, que abriu capital há menos de dois anos, quintuplicou. As ações da AstraZeneca, por sua vez, subiram 5,2% desde janeiro.

Embora todas as empresas tenham divulgado resultados positivos neste mês relacionados ao desenvolvimento de vacinas contra o coronavírus, manchetes sobre um produto altamente antecipado não são suficientes para impulsionar ações de empresas tão grandes como Pfizer e AstraZeneca, mesmo quando trabalham em uma das vacinas mais importantes de todos os tempos.

“Empresas de biotecnologia menores e seus valuations absolutamente precisam que suas vacinas sejam bem-sucedidas, enquanto para Astra e Pfizer, isso é menos relevante”, disse Sam Fazeli, analista sênior do setor farmacêutico da Bloomberg Intelligence.

O enorme impacto nos valores de empresas de menor porte se deve, em parte, aos pontos de partida relativos e seus projetos de medicamentos. Mesmo após a valorização deste ano, o valor de mercado da BioNTech, de cerca de US$ 24 bilhões, é ofuscado pelos US$ 204 bilhões da Pfizer.

Há um ano, analistas previam que tanto a BioNTech quanto a Moderna, nenhuma das quais com medicamentos no mercado, não teriam lucro em 2021. Agora, a previsão é que as duas empresas sejam rentáveis no próximo ano.

A Pfizer e a AstraZeneca, por sua vez, já davam lucro. Essas empresas divulgaram receitas em 2019 de US$ 51,8 bilhões e US$ 24,4 bilhões, respectivamente, e vendem dezenas de tratamentos de alto perfil, então é mais difícil para um novo produto fazer diferença.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.