Mercado abrirá em 2 h 31 min
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,79
    +0,78 (+1,08%)
     
  • OURO

    1.796,30
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    16.829,97
    +5,68 (+0,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,18
    -6,85 (-1,70%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.482,82
    -6,37 (-0,09%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.537,75
    +28,25 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4745
    +0,0081 (+0,15%)
     

Ações europeias revertem perdas após BC britânico intervir para esfriar mercados de títulos

Fachada da antiga Bolsa de Valores de Paris

Por Devik Jain e Amruta Khandekar

(Reuters) - As ações europeias subiram nesta quarta-feira e o índice de blue-chips do Reino Unido reverteu perdas depois que o Banco da Inglaterra disse que comprará títulos para aliviar a turbulência nos mercados decorrente dos planos fiscais do governo britânico. O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em alta de 0,30%, a 389,41 pontos, depois de cair quase 2% mais cedo, por causa da intensificação da crise de energia na região e do aumento implacável nos rendimentos dos títulos globais, que alimentaram preocupações sobre uma recessão. O banco central britânico disse que comprará a quantidade que for necessária de títulos governamentais de longo prazo entre agora e 14 de outubro para estabilizar os mercados financeiros. Também acrescentou que adiará o início de seu programa de venda de títulos, que estava marcado para a próxima semana. A medida do Banco da Inglaterra foi adotada depois que o Fundo Monetário Internacional e a agência de classificação Moody's aumentaram a pressão sobre o Reino Unido para reverter uma nova estratégia econômica anunciada na semana passada, o que provocou um aumento nos rendimentos dos títulos e uma queda vertiginosa na libra. No STOXX 600, energia, saúde e mineradoras subiram entre 0,4% e 2%, mas os ganhos foram compensados ​​por uma forte queda nas ações de bancos e bens de consumo. Enquanto isso, tensões geopolíticas se intensificaram conforme a Europa investiga o que Alemanha, Dinamarca e Suécia disseram ser ataques a dois gasodutos da Nord Stream, esta no centro de um impasse energético.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,30%, a 7.005,39 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,36%, a 12.183,28 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,19%, a 5.765,01 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,52%, a 20.852,67 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,05%, a 7.442,20 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 1,08%, a 5.385,14 pontos.