Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,11 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,12 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,43
    +0,53 (+0,82%)
     
  • OURO

    1.836,00
    +4,70 (+0,26%)
     
  • BTC-USD

    58.377,18
    -244,46 (-0,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,29 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,26 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,85 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,42 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.738,50
    +28,75 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3696
    +0,0045 (+0,07%)
     

Ações europeias recuam com rendimentos altos e realização de lucros; bancos saltam

Sruthi Shankar e Ambar Warrick
·1 minuto de leitura
Bolsa de Frankfurt

Por Sruthi Shankar e Ambar Warrick

(Reuters) - As ações europeias fecharam em queda nesta quinta-feira, com um aumento nos rendimentos dos títulos da zona do euro levando a realização de lucros em patamares quase recordes, enquanto as ações dos bancos atingiram máximas em 14 meses após resultados trimestrais fortes.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 0,24%, a 1.689 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,26%, a 439 pontos, afastando-se ainda mais de um pico recorde de 443,61 atingido na semana passada.

Operadores citaram o movimento como uma realização de lucros após "resultados estelares". O STOXX 600 subiu para máximas recordes em antecipação a uma temporada de balanços fortes, em meio também ao otimismo sobre os programas de vacinação contra a Covid-19.

As ações de bancos tiveram o melhor desempenho do dia, já que balanços positivos do Standard Chartered se somaram a uma série de resultados sólidos divulgados esta semana, incluindo de gigantes como HSBC e Santander.

O setor também foi sustentado por um salto nos rendimentos dos títulos da zona do euro, depois que o crescimento econômico dos EUA e dados de inflação da Alemanha ficaram acima do esperando, fortalecendo o argumento para um recuo no estímulo do banco central.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,03%, a 6.961,48 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,90%, a 15.154,20 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,07%, a 6.302,57 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,74%, a 24.278,20 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,27%, a 8.823,20 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 1,31%, a 5.083,29 pontos.