Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.316,16
    -1.861,39 (-1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.774,91
    -389,10 (-0,71%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,38
    -1,63 (-2,01%)
     
  • OURO

    1.943,90
    -2,80 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    22.967,69
    -28,36 (-0,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,66
    +9,65 (+1,87%)
     
  • S&P500

    4.070,56
    +10,13 (+0,25%)
     
  • DOW JONES

    33.978,08
    +28,67 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.221,00
    +114,25 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5462
    +0,0265 (+0,48%)
     

Ações europeias iniciam 2023 em alta com dados positivos sobre indústria

Bolsa de valores em Frankfurt

Por Bansari Mayur Kamdar

(Reuters) - As ações europeias subiram no primeiro pregão de 2023, nesta segunda-feira, uma vez que dados sobre a indústria da zona do euro sugeriram que o pior passou depois de um ano marcado por temores de uma recessão, já que os bancos centrais subiram os juros em todo o mundo.

O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em alta de 1,08%, a 429,49 pontos, sustentado por ações de consumo discricionário.

O setor de automóveis e peças ganhou 3,2% e nomes de luxo como LVMH e Kering subiram cerca de 2% cada.

A desaceleração da atividade industrial da zona do euro provavelmente ficou para trás uma vez que as cadeias de abastecimento começam a se recuperar e as pressões inflacionárias diminuem, mostrou nesta segunda-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

O STOXX 600 terminou 2022 com perdas acentuadas, em meio ao aperto agressivo da política monetário por bancos centrais para conter a alta dos preços, a desaceleração econômica, o conflito Rússia-Ucrânia que alimentou as pressões inflacionárias e as crescentes preocupações com os casos de Covid na China.

Em LONDRES, o índice Financial Times não teve operações.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 1,05%, a 14.069,26 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 1,87%, a 6.594,57 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 1,90%, a 24.158,28 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 1,71%, a 8.369,70 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 1,80%, a 5.829,15 pontos.