Mercado fechado

Ações europeias fecham perto de máxima em 2 semanas após PMI melhor

Por Sruthi Shankar

Por Sruthi Shankar

(Reuters) - As ações europeias fecharam no nível mais alto em quase duas semanas nesta terça-feira, impulsionadas por papéis de setores cíclicos, após sinais de que a atividade empresarial no continente estava se recuperando mais rápido do que o esperado após grande queda provocada pelo coronavírus.

O índice pan-europeu STOXX 600 encerrou com ganho de 1,3%, com setores economicamente sensíveis, como bancos, montadoras, mineradoras e seguradoras, em alta entre 1,9% e 3,3%.

As ações da zona do euro subiram 1,6%, depois de a leitura preliminar do Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do IHS Markit mostrar que uma queda histórica da atividade no bloco causada pelo coronavírus havia arrefecido novamente em junho, quando empresas reabriram após semanas de bloqueios.

O índice se recuperou mais do que o esperado, para 47,5, em relação a 31,9 de maio, depois de atingir mínima recorde de 13,6 em abril.

"Não me surpreenderia mais os dados serem uma surpresa para cima", disse Daniel McDonagh, chefe da equipe europeia de gestão de portfólio da Pyrford International, parte da BMO Global Asset Management.

O Instituto de Investimentos da BlackRock disse que estava "começando a gostar" dos ativos europeus após o que chamou de "impressionantes" esforços da zona do euro para combater o coronavírus e que está considerando uma melhora na recomendação para as ações europeias.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 1,21%, a 6.320,12 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 2,13%, a 12.523,76 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 1,39%, a 5.017,68 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 1,86%, a 19.841,58 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 1,26%, a 7.438,40 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,80%, a 4.449,68 pontos.