Mercado fechará em 3 h 53 min
  • BOVESPA

    125.363,76
    +751,73 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.136,97
    +226,44 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,24
    +0,59 (+0,82%)
     
  • OURO

    1.799,50
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    39.679,76
    +1.604,45 (+4,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    931,21
    +1,29 (+0,14%)
     
  • S&P500

    4.404,63
    +3,17 (+0,07%)
     
  • DOW JONES

    35.000,87
    -57,65 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    15.004,25
    +56,50 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0901
    -0,0183 (-0,30%)
     

Ações europeias fecham no vermelho com rali dos títulos

·2 minuto de leitura
Bandeira espanhola tremula sobre o prédio da Bolsa de Valores de Madri

Por Sruthi Shankar e Susan Mathew

(Reuters) - As ações europeias despencaram nesta quinta-feira, registrando sua pior sessão em dois meses e com todos os setores no vermelho, já que preocupações sobre a resiliência da recuperação econômica fizeram com que os investidores fugissem para os títulos.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 1,66%, a 1.743 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 1,72%, a 452 pontos.

A decisão do Banco Central Europeu de mudar sua meta de inflação para 2% -- vista como "dovish" -- fez pouco para limitar as quedas.

"Alcançar 2% de inflação não será fácil", disse Jai Malhi, estrategista de mercados globais do JP Morgan Asset Management.

"Com a inflação baixa ainda mais enraizada na zona do euro, essa mudança do Banco Central Europeu significa que a política monetária permanecerá frouxa por ainda mais tempo."

Os bancos da zona do euro caíram quase 3%, já que os rendimentos dos títulos do governo ampliavam suas quedas.

À medida que muitos investidores lutam para compreender totalmente os gatilhos por trás do rali global dos títulos, um amplo repensar da narrativa de reflação e a sensação de que o crescimento econômico pode ter atingido seu pico parecem explicações plausíveis, assim como o desmonte por parte de hedge funds de apostas baixistas que não se consolidaram.

A queda do dia deixou o STOXX 600 em território negativo no acumulado do mês, ficando em curso de quebrar uma sequência de vitórias de cinco meses.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 1,68%, a 7.030,66 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,73%, a 15.420,64 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 2,01%, a 6.396,73 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 2,55%, a 24.641,47 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 2,31%, a 8.650,10 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,74%, a 5.149,11 pontos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos