Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,87
    +0,10 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.853,40
    -1,80 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    32.498,92
    +396,85 (+1,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    653,79
    -23,11 (-3,41%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.638,85
    -56,22 (-0,84%)
     
  • HANG SENG

    30.159,01
    +711,16 (+2,41%)
     
  • NIKKEI

    28.822,29
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    13.463,25
    -12,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6392
    +0,0030 (+0,05%)
     

Ações europeias fecham na máxima em quase 9 meses com potencial alívio de restrições relacionadas a Covid-19

Por Shriya Ramakrishnan e Shashank Nayar
·1 minuto de leitura

Por Shriya Ramakrishnan e Shashank Nayar

(Reuters) - O mercado acionário europeu fechou em alta nesta terça-feira, uma vez que o potencial alívio dos lockdowns na França e o otimismo em torno de uma vacina contra o coronavírus já no início do próximo ano alimentaram esperanças de uma recuperação econômica rápida.

O índice pan-europeu STOXX 600 subiu 0,8% e chegou ao nível de fechamento mais forte desde o final de fevereiro, sustentado por fortes ganhos nas ações de petróleo e gás, que caminham para o melhor mês já registrado, conforme os preços do petróleo atingem os níveis mais altos desde o final de março.

O STOXX 600 tem alta acumulada de 14,5% em novembro e está a caminho de registrar o maior ganho mensal na história.

"Os investidores estão saindo do ruído de um risco potencial no curto prazo e focando totalmente no otimismo da vacina aliado aos acontecimentos políticos nos EUA", disse Craig Erlam, analista sênior de mercado da OANDA.

Entretanto, a atividade empresarial na Europa teve dificuldades durante o mês, já que novas medidas de lockdown forçaram o fechamento temporário de muitas empresas diante de uma segunda onda de infecções por coronavírus no continente.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 1,55%, a 6.432,17 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 1,26%, a 13.292,44 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 1,21%, a 5.558,42 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 2,04%, a 22.145,06 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 2,03%, a 8.143,20 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 2,73%, a 4.571,02 pontos.