Mercado fechará em 4 h 51 min
  • BOVESPA

    112.307,50
    +428,97 (+0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.674,83
    +779,20 (+1,82%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,07
    -0,21 (-0,46%)
     
  • OURO

    1.839,70
    +9,50 (+0,52%)
     
  • BTC-USD

    19.319,23
    +369,98 (+1,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,74
    +14,82 (+4,06%)
     
  • S&P500

    3.669,01
    +6,56 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    29.883,79
    +59,87 (+0,20%)
     
  • FTSE

    6.464,30
    +0,91 (+0,01%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.471,25
    +17,00 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2886
    -0,0312 (-0,49%)
     

Ações europeias fecham em alta com euforia sobre vacina e apoio de fusões

Por Shashank Nayar e Sruthi Shankar
·2 minuto de leitura
Bolsa de Frankfurt
Bolsa de Frankfurt

Por Shashank Nayar e Sruthi Shankar

(Reuters) - As ações europeias fecharam em alta nesta quarta-feira, com mais notícias positivas sobre uma vacina para a Covid-19 e atividades de fusão na região ajudando a compensar preocupações com a rápida disseminação do vírus.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,41%, a 1.508 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,44%, a 391 pontos, retornando a uma máxima em mais de oito meses atingida mais cedo nesta semana.

Ações economicamente sensíveis, como de montadoras, bancos, mineradoras e varejistas subiram mais de 1%, liderando os ganhos setoriais.

Depois de um início lento, as bolsas europeias receberam um impulso com a notícia de que os resultados finais do teste da vacina da Pfizer mostraram que seu imunizante teve uma taxa de sucesso de 95%, além de possuir dois meses de dados de segurança, abrindo caminho para a solicitação de uma autorização de emergência nos EUA.

No entanto, a resposta do mercado foi limitada, porque os investidores esperam que qualquer implementação de vacina leve tempo, à medida que mais restrições dos EUA e da Europa na ausência de novos estímulos podem pesar sobre a atividade econômica.

As fusões e aquisições também impulsionaram as ações, com a britânica RSA Insurance ganhando 4,6% depois de apoiar uma oferta em dinheiro de 7,2 bilhões de libras (9,55 bilhões de dólares) para a canadense Intact Financial e a Tryg, da Dinamarca, em uma das maiores ofertas de aquisição financeira da Europa este ano.

A Deutsche Boerse subiu 2,4% depois que a operadora de bolsa de valores alemã disse que iria adquirir uma participação de 80% na consultoria de administração corporativa Institutional Shareholder Services (ISS) por cerca de 1,8 bilhão de dólares.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,31%, a 6.385,24 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,52%, a 13.201,89 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,52%, a 5.511,45 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,87%, a 21.622,66 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,59%, a 7.981,50 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 1,19%, a 4.417,72 pontos.