Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,42 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,55 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,80
    -0,77 (-1,95%)
     
  • OURO

    1.907,20
    -4,70 (-0,25%)
     
  • BTC-USD

    13.638,59
    -42,15 (-0,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    270,32
    +9,03 (+3,46%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,19 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.787,19
    -131,59 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.485,80
    -8,54 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    11.532,25
    -55,75 (-0,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7181
    +0,0776 (+1,17%)
     

Ações europeias caminham para perdas semanais em meio a salto nos casos de vírus

Por Sagarika Jaisinghani
·1 minuto de leitura
.
.

Por Sagarika Jaisinghani

Oct 16 (Reuters) - As ações europeias saltavam ante mínimas em duas semanas nesta sexta-feira, mas ainda caminhavam para perdas semanais após uma liquidação marcada por temores sobre uma segunda onda de infecções por Covid-19, incertezas relacionadas ao Brexit e dúvidas sobre mais estímulo fiscal nos Estados Unidos.

Às 7:55 (horário de Brasília), o índice FTSEEurofirst 300 subia 1,07%, a 1.419 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhava 1,05%, a 367 pontos, após registrar sua pior sessão em mais de três semanas na quinta-feira.

As ações de automóveis saltavam 2,9% depois que a Daimler e a Volvo apresentaram resultados mais fortes do que o esperado.

O ressurgimento de casos de coronavírus em toda a Europa alimentava temores em relação mais lockdowns abrangentes, com Londres e Paris --as duas cidades mais ricas da Europa-- novamente vivendo sob a sombra de restrições impostas pelos governos.

"Isso aumenta o medo muito real de que o que é uma medida paliativa na verdade acabe sendo algo um pouco mais longo, o que poderia causar o colapso de centenas de empresas, bem como a dizimação de uma economia já frágil", disse Michael Hewson, analista de mercado da CMC Markets.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançava 1,29%, a 5.907 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subia 1,12%, a 12.846 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhava 1,83%, a 4.925 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib tinha valorização de 0,97%, a 19.250 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrava alta de 0,53%, a 6.853 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizava-se 0,55%, a 4.218 pontos.