Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.289,18
    +1.085,18 (+0,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.037,05
    -67,35 (-0,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,26
    -0,09 (-0,10%)
     
  • OURO

    1.818,90
    -10,80 (-0,59%)
     
  • BTC-USD

    37.047,89
    +160,55 (+0,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    845,93
    -9,88 (-1,15%)
     
  • S&P500

    4.349,93
    -6,52 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.168,09
    -129,61 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.469,78
    +98,32 (+1,33%)
     
  • HANG SENG

    24.289,90
    +46,30 (+0,19%)
     
  • NIKKEI

    27.070,91
    +59,58 (+0,22%)
     
  • NASDAQ

    14.204,25
    +45,75 (+0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1054
    -0,0010 (-0,02%)
     

Ações europeias caem sob pressão de tecnologia e saúde em meio a aumento de casos da Ômicron

·2 min de leitura
Bolsa de Frankfurt, Alemanha

Por Anisha Sircar e Shashank Nayar

(Reuters) - As ações europeias recuaram nesta quarta-feira, uma vez que as infecções recordes de coronavírus deixaram investidores cautelosos e quedas em papéis de tecnologia, saúde e viagens lideraram as vendas nas negociações de baixo volume do fim de ano. O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em queda de 0,11%, a 487,98 pontos, com as ações de saúde Novo Nordisk, Novartis e Roche entre as principais perdas, enquanto o sub-índice de tecnologia foi o que mais cedeu , 1,1%. As infecções globais por Covid-19 atingiram um recorde nos últimos sete dias, mostraram dados da Reuters nesta quarta-feira, conforme a nova variante Ômicron saiu de controle, o que manteve trabalhadores em casa e sobrecarregou centros de testagem.

"Com a atividade do mercado reduzida para a temporada de fim de ano, investidores continuam a precificar provisoriamente uma recuperação global atingindo um pequeno solavanco, e não um buraco", disse Jeffrey Halley, analista de mercado sênior da OANDA. No entanto, analistas têm opiniões divergentes em relação a 2022 conforme persistem os temores de inflação, os riscos do coronavírus e uma crise energética. Muitos acreditam que a inflação elevada pressionará bancos centrais a abandonar a política de acomodação mais cedo do que o esperado.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 0,66%, a 7.420,69 pontos, com os preços mais altos do petróleo e as poucas perspectivas de bloqueios no país até o final do ano.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,70%, a 15.852,25 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,27%, a 7.161,52 pontos. Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,37%, a 27.344,25 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,17%, a 8.673,70 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,25%, a 5.574,50 pontos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos