Mercado fechado

Ações europeias caem por preocupações com inflação e altas agressivas de juros

Pedestre caminha em frente à Bolsa de Valores de Milão

Por Devik Jain e Amruta Khandekar

(Reuters) - As ações europeias caíram nesta quinta-feira, depois que a ata da última reunião do Banco Central Europeu alimentou temores sobre o estado da inflação na região e medidas agressivas de política monetária para domá-la, enquanto dados fracos de vendas no varejo aumentaram o nervosismo em torno de uma desaceleração econômica.

O índice pan-europeu STOXX 600 reverteu ganhos iniciais e fechou em queda de 0,64%, a 396,35 pontos, ampliando as perdas para uma segunda sessão consecutiva.

A ata da reunião do BCE de 7 a 8 de setembro mostrou que as autoridades pareciam preocupadas com o fato de a inflação poder ficar enraizada em níveis excepcionalmente altos, o que torna necessária uma elevação agressiva dos juros, mesmo ao custo de um crescimento mais fraco.

"Os mercados estão começando a processar a perspectiva de que o Federal Reserve e, em menor grau, o BCE serão forçados a continuar elevando os juros agressivamente no curto prazo", disse Huw Roberts, diretor de análise da Quant Insight.

Enquanto isso, dados mostraram que as vendas no varejo da zona do euro caíram em agosto, o que aponta para uma fraqueza na demanda do consumidor e reforça expectativas de uma recessão iminente.

A maioria dos subsetores do STOXX 600 encerrou no território negativo, com mineradoras e serviços públicos na lanterna com um declínio de cerca de 2%. Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,78%, a 6.997,27 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,37%, a 12.470,78 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,82%, a 5.936,42 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 1,03%, a 21.140,55 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,91%, a 7.511,10 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,68%, a 5.407,18 pontos.