Mercado fechará em 2 h 16 min

Ações europeias caem para mínimas desde 2012 com tombo em papéis de viagem e lazer

Por Shreyashi Sanyal e Sagarika Jaisinghani

Por Shreyashi Sanyal e Sagarika Jaisinghani

(Reuters) - As ações europeias despencaram para mínimas desde 2012 nesta segunda-feira, enquanto a pandemia de coronavírus se alastrava pela Europa, com a dramática flexibilização monetária pelos bancos centrais globais não conseguindo tranquilizar os investidores com relação ao crescente dano econômico.

O índice STOXX 600 das principais ações europeias fechou em queda de 4,9%, com os mercados franceses e espanhóis liderando as perdas depois que os dois países se juntaram à Itália em quarenta nacional.

O índice que acompanha ações de empresas de viagens e lazer caiu mais de 10%. O índice de volatilidade do Euro STOXX 50, conhecido popularmente como "termômetro do medo" europeu, saltou para um recorde de 95,02.

"Restaurantes e empresas que operam em turismo, hotelaria e lazer --que já passam por dificuldades-- demitirão pessoas que elas poderão recontratar mais tarde, mas inicialmente haverá um aumento no desemprego, o que significa mais um choque para as mentes dos investidores", disse Andrea Cicione, chefe de estratégia da TS Lombard em Londres.

O Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) reduziu a taxa de juros para quase zero em seu segundo movimento de emergência em duas semanas e prometeu centenas de bilhões de dólares em compras de ativos, dizendo que a epidemia estava causando um impacto "profundo" na economia.

"Isso surpreendeu a todos, pelo menos com o momento do anúncio. Foi um grande corte. Além disso, em termos de compras, eles disseram que vão aumentar bastante desde o início", disse Cicione, da TS Lombard.

Os bancos centrais de Japão, Austrália e Nova Zelândia seguiram o Fed com suas próprias medidas, mas não conseguiram impedir uma queda nas ações globais.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 4,01%, a 5.151,08 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 5,31%, a 08.742,25 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 5,75%, a 3.881,46 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 6,10%, a 14.980,34 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 7,88%, a 6.107,20 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 4,36%, a 3.670,03 pontos.

(Reportagem de Shreyashi Sanyal e Sagarika Jaisinghani)