Mercado fechado

Ações europeias caem com febre de vendas e terminam em mínima de quase sete meses

Por Ambar Warrick e Sruthi Shankar

Por Ambar Warrick e Sruthi Shankar

(Reuters) - As ações europeias despencaram nesta sexta-feira com um medo generalizado sobre o efeito do coronavírus na atividade empresarial, com os setores de petróleo e gás sofrendo as maiores perdas após fortes quedas nos preços do petróleo.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 3,75%, a 1.432 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 3,67%, a 367 pontos, nível mais fraco desde meados de agosto de 2019, ficando no vermelho pela terceira semana consecutiva depois que os casos de coronavírus global ultrapassaram 100 mil, com o dano econômico se aprofundando depois que mais países impuseram restrições para frear sua propagação.

Embora o STOXX 600 tenha avançado brevemente esta semana após um corte de juros de emergência do Federal Reserve, as preocupações com o impacto do vírus rapidamente pressionaram os mercados.

"O problema que as pessoas enfrentam em situações como essa é que é muito difícil saber quando o fundo chegará", disse Craig Erlam, analista de mercado sênior da Oanda.

As ações de petróleo e gás terminaram em baixa de mais de 5%, registrando seu pior dia em mais de três anos depois que os preços do petróleo caíram para o seu nível mais baixo desde 2017 após a Rússia rejeitar um forte corte de produção da Opep.

Os preços do petróleo já estavam pressionados pelas preocupações com a diminuição da demanda global. [O/R]

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 3,62%, a 6.462 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 3,37%, a 11.541 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 4,14%, a 5.139 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 3,50%, a 20.799 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 3,54%, a 8.375 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 3,86%, a 4.671 pontos.