Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.349,63
    +2.313,04 (+4,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Ações europeias avançam pelo 6º dia seguido e fecham em máxima recorde

·1 min de leitura
Bolsa de Valores de Frankfurt

Por Anisha Sircar e Shreyashi Sanyal

(Reuters) - As ações europeias fecharam em máxima recorde nesta quarta-feira, subindo pela sexta sessão seguida, uma vez que alguns balanços corporativos positivos ajudaram a ofuscar as preocupações de que o salto nos preços do gás natural está alimentando as pressões inflacionárias.

O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,22%, a 1.898 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 ganhou 0,17%, a 490 pontos, depois que dados melhores do que o esperado de vendas no varejo dos Estados Unidos elevaram Wall Street na terça-feira.

A expectativa é de que os lucros das empresas listadas no STOXX 600 aumentem 60,4% no terceiro trimestre, para 103,6 bilhões de euros ante o ano anterior, mostraram os dados mais recentes da Refinitiv, queda ante a estimativa de 60,7% da semana passada.

A empresa alemã de tecnologia médica Siemens Healthineers ganhou 5,6% depois de elevar as metas de sinergia de sua aquisição da Varian neste ano.

Dados mostraram que a inflação na zona do euro saltou para mais de duas vezes a meta do Banco Central Europeu em outubro, com mais da metade da alta devido aos preços de energia.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,49%, a 7.291 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,02%, a 16.251 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,06%, a 7.156 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,07%, a 27.824 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,52%, a 8.993 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,38%, a 5.675 pontos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos