Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.667,78
    +440,32 (+0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.151,38
    -116,95 (-0,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,45
    +0,23 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.804,00
    +6,10 (+0,34%)
     
  • BTC-USD

    49.176,90
    +1.145,59 (+2,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    979,60
    -35,32 (-3,48%)
     
  • S&P500

    3.925,43
    +44,06 (+1,14%)
     
  • DOW JONES

    31.961,86
    +424,51 (+1,35%)
     
  • FTSE

    6.658,97
    +33,03 (+0,50%)
     
  • HANG SENG

    29.718,24
    -914,40 (-2,99%)
     
  • NIKKEI

    29.671,70
    -484,33 (-1,61%)
     
  • NASDAQ

    13.314,00
    +122,00 (+0,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5784
    -0,0321 (-0,49%)
     

Ações da Tyson Foods recuam com vendas trimestrais abaixo das expectativas

Tom Polansek e Praveen Paramasivam
·2 minuto de leitura
Fábrica da Tyson em Holcomb

Por Tom Polansek e Praveen Paramasivam

(Reuters) - A Tyson Foods reportou nesta quinta-feira vendas abaixo do esperado no primeiro trimestre do ano fiscal, em meio à fraca demanda de restaurantes por carne durante a pandemia de coronavírus, o que fez com que as ações da empresa recuassem até 7,5%.

A maior companhia de carnes dos Estados Unidos em termos de vendas espera que a demanda melhore, já que as vacinações contra a Covid-19 levam as pessoas a comer fora de casa com mais frequência. Até agora, porém, o aumento das vendas em supermercados não foi suficiente para compensar a queda vista nos negócios envolvendo restaurantes.

Os papéis da companhia recuavam cerca de 6%, a 65 dólares, por volta de 14h30 (horário de Brasília).

O volume total de vendas da Tyson no trimestre caiu 4,4% ante igual período do ano anterior, incluindo um recuo de 7% na carne de frango, segundo a empresa. A companhia enfrenta desafios adicionais devido ao aumento dos custos com milho e soja, que são utilizados para ração animal, e a uma escassez de caminhoneiros, disseram executivos.

Nesta semana, os contratos futuros do milho negociados em Chicago alcançaram o mais alto nível desde junho de 2013, uma vez que a forte demanda por exportações deve drenar os estoques norte-americanos para o menor patamar em sete anos.

"A mudança nos preços dos grãos foi simplesmente enorme, e isso vai pesar sobre os negócios", disse o diretor financeiro da companhia, Stewart Glendinning, em conferência com analistas.

Os preços mais altos das carnes suína e de frango ajudaram a compensar as quedas nos volumes de vendas, de acordo com a Tyson. As vendas somaram 10,46 bilhões de dólares no trimestre, queda de cerca de 3%, ficando abaixo da estimativa de 10,84 bilhões de dólares da Refinitiv IBES.

O lucro líquido atribuível à Tyson recuou quase 8%, para 467 milhões de dólares --ou 1,28 dólar por ação--, no trimestre encerrado em 2 de janeiro. Excluindo itens, o lucro atingiu 1,94 dólar por ação, superando com facilidade as expectativas de 1,49 dólar.

(Reportagem de Praveen Paramasivam, em Bangalore, e Tom Polansek, em Chicago)