Mercado abrirá em 9 h 41 min
  • BOVESPA

    111.923,93
    +997,93 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,23 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,25
    +1,27 (+1,59%)
     
  • OURO

    1.820,90
    +11,30 (+0,62%)
     
  • BTC-USD

    17.268,30
    +298,12 (+1,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    408,59
    +7,17 (+1,79%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,88 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    19.271,14
    +595,79 (+3,19%)
     
  • NIKKEI

    27.797,01
    +19,11 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    11.990,00
    -20,25 (-0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5065
    +0,0125 (+0,23%)
     

Ações da StoneCo disparam em Nova York após lucro maior do que esperado

SÃO PAULO (Reuters) - As ações da empresa de pagamentos StoneCo saltavam em Wall Street nesta sexta-feira, após uma elevação de receitas ajudada por aumento de preços levar a um lucro trimestral melhor do que o projetado por analistas de mercado.

Por volta de 12h45, as ações da Stone disparavam 16,8%, a 11,50 dólares, enquanto os principais índices em Nova York operavam com variação tímida. Na máxima do dia, o papel bateu 11,76 dólares, avanço de 19,2% e maior patamar em duas semanas.

A Stone, que tem Warren Buffett como acionista, anunciou na noite da véspera que seu lucro ajustado de julho a setembro somou 163 milhões de reais, alta de 90,5% ano a ano. O número também veio bem acima da projeção média de analistas consultados pela Refinitiv, de 95,7 milhões de reais.

Analistas do Itaú BBA liderados por Pedro Leduc classificaram o resultado como "bom" e "acima do esperado", destacando crescimento de receita e "diluição significativa de custos", segundo relatório a clientes. O BBA tem recomendação "market perform" para a ação, com preço-alvo de 11 dólares.

A evolução de 70,9% da base de clientes ativos da Stone, que fechou setembro em 2,37 milhões, ajudou a receita a crescer 70,7% ano contra ano, para 2,5 bilhões de reais. O avanço ocorreu em ritmo superior aos custos.

Além disso, o vice-presidente de finanças e relações com investidores da Stone, Rafael Martins, disse à Reuters que "iniciativas de reprecificação se mostraram mais bem-sucedidas" do que nas nossas projeções iniciais".

Analistas do JPMorgan liderados por Domingos Falavina escreveram que "as expectativas têm sido baixas para a Stone, especialmente devido à estratégia de preços mais agressiva para ganhar participação de mercado", segundo relatório a clientes. "Nesse trimestre, no entanto, vemos o reajuste de preços de agosto finalmente trazendo resultados positivos", acrescentaram.

Apesar disso, a equipe JPMorgan, que tem recomendação "neutra" para a ação, disse que segue priorizando a rival Cielo no setor diante de 'valuation' mais descontado. A Cielo divulgou em outubro que seu lucro no terceiro trimestre quase dobrou na base anual.

A StoneCo também divulgou, junto com os resultados, estimativa de alcançar no último trimestre deste ano receita de 2,6 bilhões de reais, além de lucro antes de impostos (EBT) para acima de 250 milhões de reais.

A equipe do BBA disse que os números projetados são "otimistas". Segundo eles, os comentários dos executivos da empresa na conferência com analistas e as estimativas divulgadas sugerem que as tendências do terceiro trimestre serão mantidas e devem elevar o preço da ação e as previsões do mercado.

(Por Andre Romani)