Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.541,95
    -1.079,62 (-1,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.524,45
    -537,16 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    106,38
    +0,62 (+0,59%)
     
  • OURO

    1.804,90
    -2,40 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    20.359,37
    +326,26 (+1,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    436,52
    +5,05 (+1,17%)
     
  • S&P500

    3.785,38
    -33,45 (-0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.775,43
    -253,88 (-0,82%)
     
  • FTSE

    7.169,28
    -143,04 (-1,96%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    26.219,92
    -173,12 (-0,66%)
     
  • NASDAQ

    11.497,25
    -32,25 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4973
    -0,0083 (-0,15%)
     

Ações da Revlon despencam após notícia de possível falência

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O preço das ações da Revlon, gigante de cosméticos presente em mais de 150 países, caiu pela metade na última sexta-feira (10) após começarem a circular notícias de que a empresa pode declarar falência.

A marca é controlada pela empresa MacAndrews & Forbes, do bilionário Ronald Perelman.

Na quinta-feira (9), a ação da Revlon, que acumula queda de mais de 80% nos últimos seis meses, valia US$ 4,34 (R$ 21,62). Na sexta, caiu 52,76%, para US$ 2,05 (R$ 10,21).

Segundo fonte ouvida pelo Wall Street Journal, influenciaram na decisão dívidas e alta concorrência no setor, além de inflação e falta de suprimentos mais recentemente.

As vendas aumentaram 7,8% no primeiro trimestre de 2022 em relação ao mesmo período de 2021, segundo o último balanço da empresa. O resultado, decorrente da gradual recuperação das economia após a Covid-19, não foi suficiente.

O prejuízo líquido no começo deste ano somou US$ 67 milhões (R$ 333,8 milhões), e a empresa tem uma dívida de US$ 3,3 bilhões (R$ 16,4 bilhões) com vencimentos em 2024 e 2025.

A companhia ainda enfrenta um percalço na justiça após o Citibank pagar uma dívida por engano, segundo alega. O banco diz que transferiu integralmente a um dos credores da Revlon um empréstimo de US$ 866 milhões (R$ 4,3 bilhões), quando a intenção era pagar apenas parte da quantia.

O Citibank entrou na justiça para reaver o dinheiro, mas o pedido foi negado por um juíz federal dos Estados Unidos no ano passado. A decisão ainda pode ser revista.

Em 2020, a marca acabou conseguindo o apoio de investidores para evitar um pedido de falência. Os acionistas concordaram em trocar cerca de 70% da dívida de US$ 343 milhões que venceria em 2021.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos