Mercado fechará em 4 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    108.807,68
    -169,02 (-0,16%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.885,73
    +217,09 (+0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,80
    -1,48 (-1,94%)
     
  • OURO

    1.747,00
    -7,00 (-0,40%)
     
  • BTC-USD

    16.243,65
    -289,59 (-1,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,74
    +0,45 (+0,12%)
     
  • S&P500

    4.002,45
    -23,67 (-0,59%)
     
  • DOW JONES

    34.191,87
    -155,16 (-0,45%)
     
  • FTSE

    7.468,79
    -17,88 (-0,24%)
     
  • HANG SENG

    17.297,94
    -275,64 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    28.162,83
    -120,20 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.765,00
    -17,75 (-0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6123
    -0,0121 (-0,22%)
     

Ações da Meta, dona do Facebook, sobem depois de demissões de 11 mil pessoas

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 17.09.2021 - Still de mão segurando um celular com o app de rede social Facebook aberto. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 17.09.2021 - Still de mão segurando um celular com o app de rede social Facebook aberto. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) - A Meta (M1TA34), controladora do Facebook, mergulhou num poço de desvalorização no final de outubro depois de ter divulgado que seu lucro líquido tombou de US$ 9,19 bilhões no terceiro trimestre de 2021 para US$ 4,39 entre julho, agosto e setembro deste ano, uma baixa de 52%. As ações da empresa, desde então, caíram 30%.

Mas nesta quarta-feira (9), depois de anunciar a demissão de 11 mil pessoas, 13% do quadro de funcionários, os recibos de ações (BDRs) da empresa que é proprietária do Instagram e WhatsApp, estavam em alta de 7,09% por volta das 11h45 (horário de Brasília), para R$ 18,87 na Bolsa de Valores de São Paulo. Na Nasdaq, em Nova York, os papéis subiam 6,87%, cotados a US$ 103,14.