Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,17 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,14 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.877,70
    -53,10 (-2,75%)
     
  • BTC-USD

    23.335,16
    -197,88 (-0,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,93 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5385
    +0,0488 (+0,89%)
     

Ações da China sobem em meio a otimismo com 2023, mas marcam pior ano desde 2019

XANGAI (Reuters) - As ações da China se recuperaram nesta sexta-feira, com operadores buscando pontos positivos no próximo ano em meio a promessas das autoridades de apoiar o crescimento, encerrando 2022 com o mercado registrando o pior ano desde 2019.

Outras ações asiáticas também subiram, com os investidores encerrando o ano em tom positivo, depois que dados dos EUA mostraram que a política monetária agressiva do Federal Reserve está amortecendo as pressões inflacionárias.

As ações da China registraram seu pior desempenho anual desde 2019, com o índice CSI 300 caindo 21,6%. Enquanto isso, o índice de referência das ações de Hong Kong,, caiu 15,4%, registrando o pior ano desde 2012.

Os investidores estrangeiros compraram 90 bilhões de iuanes em termos líquidos em ações da China em 2022 por meio do Stock Connect Scheme, um quinto do total do ano passado e a menor quantia desde 2017.

No entanto, investidores e analistas estão mais otimistas sobre as ações da China no próximo ano, à medida que o país desmantelou sua política rígida de Covid zero este mês, fazendo com que suas ações recuperassem cerca de 10% desde a mínima recente marcada em 31 de outubro.

Bancos globais, incluindo Citi, Bank of America e J.P. Morgan, atualizaram as recomendações para as ações da China, esperando uma recuperação econômica no próximo ano.

Para apoiar a economia, o Ministério das Finanças disse na quinta-feira que a China aumentará os gastos fiscais "apropriadamente" em 2023, com foco na inovação tecnológica e nos principais setores estratégicos.

Os líderes chineses se comprometeram a intensificar os ajustes de política para amortecer o impacto nas empresas e consumidores de um aumento nas infecções por Covid-19.

No entanto, a pressão de curto prazo do aumento de casos e mortes de Covid manteve os investidores em modo cautela. O Shanghai Composite Index perdeu quase 2% em dezembro, enquanto o CSI 300 Index subiu 0,5%. . Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,20%, a 19.781 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,51%, a 3.089 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,39%, a 3.871 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 1,93%, a 2.236 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,37%, a 14.137 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,06%, a 3.251 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,26%, a 7.038 pontos.

(Reportagem da redação de Xangai)