Mercado abrirá em 6 h 22 min
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,53 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,15 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,45
    +0,06 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.888,70
    +12,10 (+0,64%)
     
  • BTC-USD

    22.746,09
    -634,88 (-2,72%)
     
  • CMC Crypto 200

    521,79
    -15,07 (-2,81%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,89 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.123,98
    -536,49 (-2,48%)
     
  • NIKKEI

    27.697,93
    +188,47 (+0,69%)
     
  • NASDAQ

    12.545,00
    -79,00 (-0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5373
    -0,0012 (-0,02%)
     

Ações da China caem com temor de que reabertura da Covid e recuperação imobiliária seja lenta

Painel em Tóquio mostra cotações de ações

XANGAI (Reuters) - As ações da China fecharam em baixa nesta sexta-feira devido a preocupações de que o setor imobiliário do país esteja enfrentando uma desaceleração prolongada e que a reabertura após anos de medidas estritas contra a Covid-19 será instável e incerta.

As ações de incorporadoras imobiliárias chinesas lideraram a queda, caindo 2,9%, enquanto as de incorporadoras listadas em Hong Kong recuaram 2,5%.

"A perspectiva do setor (imobiliário) continua negativa por causa da demanda fraca e, embora as novas políticas do governo possam aliviar as restrições de financiamento, elas levarão tempo para surtir efeito", disse a agência de classificação de risco Moody's na sexta-feira.

O subíndice de propriedades da China saltou mais de 30% em novembro, quando Pequim intensificou o apoio para aumentar a liquidez no setor e evitar mais calotes de dívidas de incorporadoras para fazer com que a construção de casas inacabadas volte a funcionar.

A Moody's também disse que os riscos para a estabilidade do sistema financeiro da China estão aumentando devido à contínua lentidão em seu setor imobiliário e uma desaceleração econômica. O setor financeiro caiu quase 1% no dia.

Ainda assim, o índice CSI 300 da China subiu 2,5% na semana, registrando a melhor semana em um mês, em meio a sinais de que a China está começando a sair de sua política de Covid zero. Enquanto isso, o benchmark Hang Seng de Hong Kong saltou 6,3%.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 1,59%, a 27.777 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,33%, a 18.675 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,29%, a 3.156 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,61%, a 3.870 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 1,84%, a 2.434 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,28%, a 14.970 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 1,02%, a 3.259 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,72%, a 7.301 pontos.

(Reportagem da Redação Xangai)