Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.718,81
    -487,78 (-0,93%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,11
    -2,54 (-3,00%)
     
  • OURO

    1.798,70
    +5,30 (+0,30%)
     
  • BTC-USD

    58.830,68
    -3.459,70 (-5,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.410,18
    -64,15 (-4,35%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.628,74
    -409,53 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    29.098,24
    -7,77 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.597,00
    +52,00 (+0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4339
    -0,0202 (-0,31%)
     

Ações da China avançam após dados comerciais mais fortes do que o esperado

·2 minuto de leitura
Telão em Xangai mostra flutuações dos mercados acionários

XANGAI (Reuters) - As ações da China fecharam em alta nesta quarta-feira, impulsionadas pelas ações de consumo e tecnologia depois que dados comerciais domésticos melhores do que o esperado diminuíram temores de desaceleração econômica alimentados por uma crise de energia e pelo endividamento da Evergrande.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 1,2%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 0,4%.

O crescimento das exportações da China acelerou inesperadamente em setembro, já que a demanda global ainda sólida compensou algumas das pressões sobre as fábricas devido à escassez de energia, gargalos de oferta e um ressurgimento de casos de Covid-19 no país.

"Combinado a dados separados mostrando que o consumo de eletricidade se manteve bem no mês passado, isso sugere que o impacto do racionamento de energia ficou em grande parte confinado a algumas indústrias de uso intensivo de energia e não reteve a atividade de manufatura mais ampla como muitos temiam", escreveu Julian Evans-Pritchard, economista sênior para China na Capital Economics.

Ainda assim, o subíndice imobiliário caiu 0,6% em meio a sinais de que a crise de dívida da Evergrande está se espalhando pelo setor, atingindo mais incorporadoras chinesas.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,32%, a 28.140 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG permaneceu fechado.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,42%, a 3.561 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 1,15%, a 4.940 pontos.

. Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,96%, a 2.944 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,70%, a 16.347 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 1,43%, a 3.156 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,11%, a 7.272 pontos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos