Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    61.220,32
    +11,39 (+0,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Ações de commodities sustentam Ibovespa acima dos 113 mil pontos

·2 minuto de leitura

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Ações de empresas brasileiras de commodities metálicas e ligadas a petróleo subiam forte nesta segunda-feira espremida entre final de semana e feriado, levando para cima dos 113 mil pontos o principal índice acionário brasileiro.

Às 12:24, o Ibovespa mostrava alta de 0,7%, aos 113.634,02 pontos. O giro financeiro da sessão somava 10,8 bilhões de reais, com o volume também prejudicado por menor movimento em Wall Street, devido a feriado bancário nos Estados Unidos (Columbus Day).

Para profissionais do mercado, enquanto ações de matérias-primas ganham, as de setores ligados a consumo perdem diante do cenário de inflação mais alta.

Por isso, a atenção dos agentes deve se concentrar em dados de inflação e vendas no varejo dos Estados Unidos, na ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve.

Outro ponto de atenção é o início da temporada de balanços do terceiro trimestre em Wall Street, incluindo JPMorgan, Bank of America, Morgan Stanley e Citigroup e Goldman Sachs.

Segundo o economista-chefe do modalmais, Alvaro Bandeira, diante de temas como o risco de travamento orçamentário nos EUA e de novos indicadores mostrando inflação global em elevação, "os investidores devem seguir com comportamento de maior proteção", limitando ganhos também na bolsa brasileira.

DESTAQUES

- PETRORIO subia 5,85%, ainda na esteira de notícia de sexta-feira de que a Petrobras escolheu oferta do consórcio de PetroRio e Cobra pelo campo petrolífero offshore de Albacora, publicou a Reuters citando fontes. PETROBRAS subia 2,2%, também refletindo alta do petróleo.

- VALE avançava 3,4%, na esteira do salto das cotações do minério de ferro na China, depois que uma inundação na principal produtora de carvão do país intensificou temores de oferta para a indústria siderúrgica. CSN era valorizada em 1,3%, enquanto USIMINAS crescia 2,3%.

- VIBRA, ex-BR Distribuidora, subia 2,4%, após ter anunciado sexta-feira à noite que fechou negócio de 3,25 bilhões de reais para comprar 50% da comercializadora de energia Comerc.

- EMBRAER tinha ganho de 6%. A companhia informou pela manhã que recebeu da NetJets, companhia aérea da Berkshire Hathaway de Warren Buffett, uma encomenda para até 100 aeronaves, somando mais de 1,2 bilhão de dólares.

- BANCO PAN caía 5,2%, enquanto BANCO INTER tinha baixa de 6,2%, destacando a pressão continuada sobre ações de empresas baseadas em planos de crescimento acelerado, uma vez que expectativas para o juro no Brasil seguem em elevação. MAGAZINE LUIZA perdia 1,8%.

- B3 era depreciada em 1,4%, após o Credit Suisse cortar o preço-alvo da ação para os próximos 12 meses, citando expectativa de lucro menor e de maior risco de perdas em processo relativo a um processo envolvendo 31 bilhões de reais.

- CVC tinha baixa de 0,5%. A companhia de turismo informou pela manhã que restaurou parcialmente seus sistemas de TI após ter sofrido ataque cibernético no dia 2.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos