Mercado fechará em 4 h 57 min
  • BOVESPA

    130.787,52
    +1.346,49 (+1,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.076,78
    -209,68 (-0,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,52
    +0,61 (+0,86%)
     
  • OURO

    1.868,40
    -11,20 (-0,60%)
     
  • BTC-USD

    40.627,99
    +4.757,89 (+13,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.009,66
    +40,81 (+4,21%)
     
  • S&P500

    4.242,70
    -4,74 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    34.345,33
    -134,27 (-0,39%)
     
  • FTSE

    7.163,36
    +29,30 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.013,00
    +18,75 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1376
    -0,0550 (-0,89%)
     

Ação judicial alega que Apple monopoliza tecnologia de frequência cardíaca para Apple Watch

·2 minuto de leitura
Apple Watch em Nova York

Por Jonathan Stempel

(Reuters) - Uma empresa do Vale do Silício entrou com um processo antitruste acusando a Apple de monopolizar o mercado de tecnologia de monitoramento de frequência cardíaca para o Apple Watch e colocar em risco a saúde dos usuários.

Em uma denúncia registrada na noite de terça-feira, a AliveCor disse que a Apple excluiu rivais ao alterar o algoritmo de frequência cardíaca do sistema operacional do relógio, tornando a tecnologia rival incompatível.

A AliveCor vende o KardiaBand, uma pulseira Apple Watch capaz de registrar um eletrocardiograma, e o SmartRhythm, um aplicativo que alerta os usuários sobre batimentos cardíacos irregulares.

A empresa privada acusou a Apple de silenciosamente "trabalhar em segundo plano" para copiar sua capacidade de gravar um ECG no Apple Watch e fornecer um aplicativo separado para análise de frequência cardíaca.

"Como já fez várias vezes ao longo dos anos em outros mercados, a Apple decidiu que não aceitaria a concorrência no mérito", disse a AliveCor em sua denúncia apresentada no tribunal federal de San Francisco.

"O valor de controlar esses dados críticos de saúde (com a capacidade de explorá-los) era aparentemente uma tentação demais para a Apple", acrescentou. "Para obter uma vantagem competitiva injusta, a Apple colocou a vida de incontáveis usuários do AliveCor em perigo."

A Apple não respondeu imediatamente nesta quarta-feira aos pedidos de comentários.

A empresa com sede em Cupertino, Califórnia, tem aplicativos para fazer ECGs e medir a frequência cardíaca em repouso ou durante os exercícios.

A AliveCor está buscando indenização tripla não especificada, citando o suposto esforço "intencional" da Apple para criar um monopólio.

Em dezembro, a empresa sediada em Mountain View, na Califórnia, processou a Apple por violação de patente no Texas e, em abril, pediu à Comissão de Comércio Internacional dos Estados Unidos que proibisse as importações de relógios Apple.