Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +997,93 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,23 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,73
    +1,75 (+2,19%)
     
  • OURO

    1.812,60
    +3,00 (+0,17%)
     
  • BTC-USD

    17.102,92
    +149,68 (+0,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,88 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,05 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.708,08
    -69,82 (-0,25%)
     
  • NASDAQ

    11.996,00
    -14,25 (-0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5002
    +0,0062 (+0,11%)
     

Ação da Petz reverte queda e lidera altas do Ibovespa após resultado trimestral

SÃO PAULO (Reuters) - As ações da Petz avançavam fortemente na bolsa paulista nesta quarta-feira, um dia após a divulgação do resultado do terceiro trimestre, que mostrou queda no lucro líquido, mas crescimento da receita bruta total, em meio a um expressivo ritmo de expansão de lojas.

Às 11:23, os papéis subiam 6,5%, a 8,69 reais, melhor desempenho do Ibovespa, que cedia 0,25%. Na máxima, as ações chegaram a 8,84 reais, revertendo a fraqueza da abertura, quando caíram até 7,97 reais.

Para analistas do Itaú BBA, a Petz reportou resultados negativos e em linha com as expectativas, mantendo as mesmas tendências vistas no segundo trimestre, com crescimento de um dígito em vendas na métrica mesmas lojas e pressão de rentabilidade.

"Investidores focarão nesses temas para entender melhor a produtividade das lojas daqui para frente, enquanto a compressão da rentabilidade está em linha com nossas expectativas e reflete a tendência de mudança de produto e mix para canais/produtos de menor margem", afirmaram Thiago Macruz e equipe em relatório.

No entanto, eles avaliam que esse resultado já estava precificado, dada a recente reação das ações. Na véspera, as ações fecharam em baixa de 6,2%.

Na visão da equipe do BTG Pactual, embora as margens ainda estejam sob pressão, tendência que deve persistir nos próximos trimestres, com uma combinação negativa de inflação, mix de vendas e integração/aceleração de aquisições, a Petz continua apresentando uma expansão decente da receita.

"Ainda que no curto prazo a ação deva continuar pressionada, Petz continua sendo uma das nossas principais recomendações estruturais", afirmaram os analistas liderados por Luiz Guanais, citando entre as razões para tal visão a exposição a um mercado grande, de alto crescimento e fragmentado.

(Por Paula Arend Laier)