Ibovespa sobe 1,93%, maior alta diária desde 1º/12/2010

O acordo fechado pelos líderes europeus para resolver a situação da dívida grega foi o motor que puxou os mercados acionários nesta quinta-feira. O índice Bovespa voltou a fechar nos 60 mil pontos, o que não acontecia há mais de uma semana, e teve a maior alta porcentual desde 1º de dezembro do ano passado. Os ganhos aqui foram puxados pelas blue chips - sobretudo Petrobras - e papéis de construtoras, bancos e varejo. Poucas ações recuaram.

O Ibovespa terminou o dia em alta de 1,93%, aos 60.262,95 pontos, maior nível desde os 60.669,89 pontos de 13 de julho. Na mínima, registrou 59.120 pontos (estabilidade) e, na máxima, os 60.441 pontos (+2,23%). No mês, acumula perda de 3,43%, e, no ano, queda de 13,05%. O giro financeiro totalizou R$ 5,602 bilhões. Os dados são preliminares.

Pela manhã, uma prévia do que estava sendo acordado veio a público e puxou os mercados para cima. Os governos da zona do euro concordaram com um novo pacote de ajuda para a Grécia e em reestruturar a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês), o fundo de resgate europeu. O acordo, que desde ontem já vinha antecipado, foi confirmado no final da tarde.

Ficou decidido que será ampliada a duração dos empréstimos da EFSF à Grécia dos atuais 7,5 anos para um mínimo de 15 anos e um máximo de 30 anos. E os empréstimos da EFSF terão taxas equivalentes às de uma linha de financiamento da União Europeia criada para socorrer nações do bloco com dificuldades relacionadas ao balanço de pagamentos. Atualmente, a taxa cobrada pelos empréstimos obtidos por meio desta linha está perto de 3,5%, segundo o comunicado.

Estimulados pelas primeiras notícias sobre a reunião, as bolsas europeias terminaram com ganhos, puxados principalmente pelas ações dos bancos. As bolsas norte-americanas também subiram o dia todo, ampliando os ganhos após a confirmação no final da sessão. O Dow Jones terminou o dia em alta de 1,21%, aos 12.724,41 pontos, o S&P-500 avançou 1,35%, aos 1.343,80 pontos, e o Nasdaq, 0,72%, aos 2.834,43 pontos.

No Brasil, além do exterior propício a compras, também o Comitê de Política Monetária (Copom) deu incentivo para os investidores se animarem com a renda variável, inclusive o estrangeiro. "Teve ingresso de capital externo na Bovespa", comentou um operador da mesa de renda variável de uma corretora paulista. Ontem, o Banco Central elevou a taxa Selic em 0,25 ponto porcentual, para 12,50% ao ano, e, para alguns profissionais, sinalizou que o ciclo de aumento do juro terminou este mês.

O setor de construção civil, bastante penalizado este ano é um dos beneficiados por uma interrupção do processo de alta dos juros, liderou as altas do Ibovespa. Gafisa ON subiu 7,04%, na maior alta do índice, seguida por Rossi ON (+6,75%), MRV ON (+6,18%), PDG ON (+6) e Bisa ON (+5,63%).

Petrobras ON ganhou 2,58% e Petrobras PN, 2,77%. Vale ON avançou 0,29% e Vale PNA, 0,22%. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o contrato do petróleo para setembro subiu 0,74%, a US$ 99,13 o barril.

Carregando...