Mercado fechará em 5 h 25 min
  • BOVESPA

    113.295,55
    -216,84 (-0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.731,78
    -69,90 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,19
    +1,66 (+1,92%)
     
  • OURO

    1.783,10
    -6,60 (-0,37%)
     
  • BTC-USD

    23.434,89
    -405,68 (-1,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    556,03
    -16,79 (-2,93%)
     
  • S&P500

    4.271,53
    -33,67 (-0,78%)
     
  • DOW JONES

    33.964,23
    -187,78 (-0,55%)
     
  • FTSE

    7.509,89
    -26,17 (-0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.922,45
    +91,93 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    29.222,77
    +353,86 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    13.489,75
    -168,50 (-1,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2594
    +0,0276 (+0,53%)
     

“99% das criptomoedas não valem nada”, avalia Charles Mendlowicz, o Economista Sincero

Charles Mendlowicz
Charles Mendlowicz

Saber diferenciar uma criptomoeda qualquer do Bitcoin é essencial para não cair em uma furada.

No português claro, o Bitcoin (BTC) é um ativo digital. Na prática, isso quer dizer que existem inúmeras outras moedas virtuais (criptomoedas), só que é preciso saber em qual delas o investimento tem menor risco. É essa simplificação na hora de informar que tem feito Charles Mendlowicz ser uma verdadeira sumidade na internet quando o assunto é investimento.

Para Charles, a maior pegadinha está nos problemas que podem estar por detrás de uma criptomoeda que promete mundos e fundos. Segundo o Economista Sincero, como é conhecido na internet (ele tem mais de 545 mil inscritos só no YouTube), há pirâmides e golpes nesse tipo de investimento que se aproveitam da desinformação para pegar os investidores.

“É um negócio extremamente interessante, mas temos que aprender a, primeiro, separar o Bitcoin das outras mais de 20 mil criptomoedas. 99% delas não valem nada”, dispara ele, que também é seguido por mais de 410 mil pessoas no Instagram.

Muita gente não entende nem sequer o que o assunto todo quer dizer. É por aí que o especialista começa: “As criptomoedas são uma espécie de ativo digital, é como se fosse um dinheiro eletrônico, e que não apresenta um sistema centralizado de controle sobre trocas, ao contrário do que acontece com as moedas do ‘mundo real”.

A vontade de informar sobre esse e os outros mais variados temas de economia nas redes sociais por Charles veio de uma demanda clara da população.

Só para se ter ideia, uma pesquisa feita pela Toluna em maio deste ano revelou que 48% dos investidores brasileiros não investem em moedas digitais por não “saberem o suficiente sobre o ativo”. Dados da instituição ainda registraram que apenas 16% dos participantes do estudo se disseram completamente familiarizados com o conceito das criptomoedas.

“É um trabalho que faço na internet e que vai refletir, principalmente daqui a 5, 10 anos”, acredita, finalizando: “E nós teremos essa nova geração nesse mercado, que com certeza será importante demais para os investimentos, e que ainda vai ajudar muito o Brasil”.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos