Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.280,70
    -352,22 (-0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

90% dos brasileiros querem que vacina seja exigida no retorno ao escritório

·1 minuto de leitura
Produtividade e evitar transporte estão entre os motivos para manter home office. Foto: Getty Images.
Produtividade e evitar transporte estão entre os motivos para manter home office. Foto: Getty Images.
  • Na Espanha, o número cai para 71% dos consultados

  • 43% querem que o formato de trabalho seja híbrido

  • Produtividade e evitar transporte estão entre os motivos para manter home office

Um estudo realizado pela plataforma profissional LinkedIn revelou que 90% dos profissionais brasileiros querem que suas empresas exijam comprovantes de vacinação com o retorno do trabalho presencial. Para a pesquisa, foram consultadas 1 mil pessoas de diversos países no último mês de agosto, que trabalhavam em escritórios até o começo da pandemia.

A exigência de vacinas pelo mundo

Com o levantamento, o Brasil se revelou um dos países mais preocupados com as consequências do fim do home office. Em contrapartida, outras nações se mostraram menos restritas. No México, o número chega a 86%. Já na Espanha, apenas 71% dos profissionais apoiam a vacinação como condição para o retorno aos escritórios.

Leia também:

De acordo com o estudo, alguns funcionários ainda se mostram reticentes quanto ao retorno do trabalho presencial. Enquanto 27% querem poder voltar aos seus escritórios, outros 30% preferem continuar com home office. Entretanto, 43% dos consultados querem que o modelo seja híbrido.

Entre os motivos mais citados pelos entrevistados que querem continuar trabalhando de casa, estão evitar transporte diário, ser mais produtivo, ter uma vida profissional equilibrada, manter a saúde mental e facilitar o cuidado e educação dos filhos.

Em agosto, uma pesquisa da consultoria Korn Ferry revelou que 70% dos profissionais veem a volta do trabalho presencial como difícil. No mesmo estudo, 74% dos consultados revelaram trabalhar com mais energia e foco quando o fazem de casa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos