Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.564,44
    +1.852,44 (+1,57%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.399,80
    +71,60 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,26
    -0,37 (-0,56%)
     
  • OURO

    1.786,90
    +2,60 (+0,15%)
     
  • BTC-USD

    57.528,81
    +3.518,11 (+6,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.457,26
    +51,96 (+3,70%)
     
  • S&P500

    4.167,59
    +2,93 (+0,07%)
     
  • DOW JONES

    34.230,34
    +97,31 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.039,30
    +116,13 (+1,68%)
     
  • HANG SENG

    28.417,98
    -139,16 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.812,63
    -241,37 (-0,83%)
     
  • NASDAQ

    13.477,50
    -13,50 (-0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4276
    -0,1117 (-1,71%)
     

A 9 dias de acabar, abril já é o mês mais letal desde o início da pandemia no estado de SP

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em meio ao relaxamento da fase mais restritiva da quarentena imposta pelo governador João Doria (PSDB), o estado de São Paulo ultrapassa 90 mil mortes por Covid e abril se torna o mês mais letal desde o início da pandemia, nove dias antes de terminar. Até então, março de 2021 detinha o topo de ranking de letalidade, com 15.159 óbitos em todo o mês. Até esta quarta-feira (21), no entanto, abril já soma número maior: 15.975 mortes. No dia 6 de abril, o estado registrou o recorde de mortes por Covid ao contabilizar 1.389 óbitos em um único dia. Nas últimas 24 horas, o estado registrou 977 mortes e 17.123 novos casos de coronavírus, totalizando 90.627 vidas perdidas e 2.786.483 infecções pela doença, pouco mais de um ano após a confirmação da primeira morte, em 12 de março de 2020. Com isso, a média móvel de mortes no estado ficou em 736 mortes diárias por Covid, um valor 3% maior do que o registrado 14 dias atrás, o que indica tendência de estabilidade. Já a média móvel de casos de Covid-19 foi de 14.350 casos diários nesta quarta, o que representa uma queda de menos de 1% em 14 dias, também com tendência de estabilidade. Já a ocupação dos leitos de UTI segue bastante elevada: 81,8% nesta quarta-feira. De acordo com especialistas, quando a taxa de ocupação das unidades de terapia intensivas está acima de 80%, o estado segue com risco de colapso no sistema de saúde. O total de pacientes internados --na rede pública e privada-- é de 23.459 pessoas, sendo 11.009 em leitos de UTI e 12.450 em enfermarias. Apesar dos números recordes em abril, o governo Doria avaliou que os indicadores da Covid-19 tiveram uma melhora significativa, considerando principalmente a ocupação das UTIs e o total de pacientes internados. Por isso, a gestão estadual começou a flexibilizar as restrições da quarentena no último dia 12, quando acabou a fase emergencial --a mais rígida-- e foi retomada a fase vermelha. A fase vermelha, no entanto, também foi encerrada e o governo anunciou uma nova etapa da quarentena, a chamada fase de transição, em vigor desde domingo (18). Assim, comércios e atividades religiosas puderam reabrir, e outros serviços, como restaurantes, salões de beleza e academias, votam a funcionar neste sábado (24). Os estabelecimentos terão horário restrito e podem receber até 25% do público máximo.