Mercado abrirá em 1 h 2 min

The Last of Us │ Passado de Tess era trágico demais e foi cortado da série

A ideia de expandir algumas histórias em The Last of Us quase trouxe mais detalhes sobre a história de uma das personagens centrais desse início de jornada, a contrabandista Tess (Anna Torv). Ela foi a grande estrela do segundo episódio e a adaptação da HBO por muito pouco não contou mais de sua história para além daquilo que os jogadores já conhecem.

De acordo com o showrunner da série, Craig Mazin, a equipe responsável por levar o game para a TV chegou a escrever cenas que mostravam mais do passado da personagem, mas que nada disso chegou a ser gravado. Ainda assim, ele revelou ao podcast oficial da HBO sobre o trágico passado da sobrevivente.

Segundo produtores, Tess tem um passado tão trágico quanto o de Joel (Imagem: Reprodução/HBO)
Segundo produtores, Tess tem um passado tão trágico quanto o de Joel (Imagem: Reprodução/HBO)

Segundo Mazin, foi imaginado que a relação de Tess e Joel (Pedro Pascal) é baseada no fato de que ambos perderam tudo com o surgimento do cordyceps. A diferença é que, no caso dela, as coisas foram ainda mais duras e brutais.

Os roteiristas imaginaram mostrar a vida pregressa de Tess, acompanhando sua família com marido e filho. Só que isso passa a desmoronar a partir do momento em que eles são infectados e ela se vê obrigada a matá-los. E embora consiga ter feito isso com seu esposo, ela não tem coragem de matar o próprio filho e o tranca no porão de casa. Assim, como Mazin sugere, faria sentido imaginar que essa criança se tornou um estalador depois de tanto tempo preso.

O criador dos jogos e também produtor da série, Neil Druckmann, disse que imaginou uma cena em que a câmera focaria na porta do porão e que seria possível ouvir os estalos feitos pelo filho de Tess. Em seguida, veríamos a própria personagem contando sua história e dizendo que ela não foi capaz de tirar a vida do garoto, condenando-o àquela forma.

E embora a cena não tenha sido gravada, é possível perceber alguns resquícios dessa ideia permeados ao longo do episódio. Em primeiro lugar, é possível notar o desconforto de Tess em relação aos estaladores, o que pode ser explicado não apenas pelo receio de lidar com esses infectados muito mais agressivos, mas pelo fato de eles lembrarem desse passado que ela tenta esquecer.

A perda do filho também explica o pouco de empatia que Tess tem com Ellie (Imagem: Divulgação/HBO)
A perda do filho também explica o pouco de empatia que Tess tem com Ellie (Imagem: Divulgação/HBO)

Além disso, em um diálogo entre Joel e Ellie (Bella Ramsey), a garota pergunta se era difícil para o contrabandista matar um infectado sabendo que ele já foi uma pessoa antes — o que ecoa nesse histórico de sua companheira.

E apesar de terem detalhado toda a cena, Mazin e Druckmann não chegam a revelar por que optaram por deixar essa explicação sobre o passado de Tess de fora da adaptação da HBO. No entanto, vendo o quão brutal foi o capítulo desta semana, faz sentido imaginar que eles optaram por pegar mais leve na história da personagem.

The Last of Us está disponível na HBO Max.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: