Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.064,36
    +1.782,08 (+1,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,27
    +125,93 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,26
    -0,04 (-0,05%)
     
  • OURO

    1.747,00
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    44.903,35
    +1.591,55 (+3,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.125,56
    +16,64 (+1,50%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    30.214,60
    +575,20 (+1,94%)
     
  • NASDAQ

    15.330,25
    +26,75 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2265
    +0,0015 (+0,02%)
     

7% das empresas querem abandonar home office no Brasil, diz estudo

·1 minuto de leitura
Um terço das empresas querem adotar home office para reduzir custos. Foto: Getty Images.
Um terço das empresas querem adotar home office para reduzir custos. Foto: Getty Images.
  • Um terço das empresas querem adotar home office para reduzir custos

  • Quase 90% disseram oferecer assistência de saúde mental aos funcionários

  • 5 mil empresários de 32 países foram consultados

Apenas 7% das empresas brasileiras querem abandonar o home office após o fim da pandemia do covid-19. É o que aponta uma pesquisa feita pela consultoria Grant Thornton.

Com o avanço da vacinação em todo o mundo, 32% dos empresários brasileiros pretendem adotar exclusivamente o home office e reduzir custos de escritórios físicos. Quase metade dos entrevistados — 45% — também estão considerando a mesma possibilidade.

A relação das empresas brasileiras com a saúde mental de seus funcionários também foi pauta do estudo. Enquanto 86% dos entrevistados afirmaram já oferecer auxílio antes ou a partir da pandemia, 13% disseram que a assistência ainda está nos planos. 2% disseram não levar em consideração o assunto.

A pandemia também parece ter trazido maior consciência dos empresários sobre as atividades de seus empregados — 74% dos consultados brasileiros pretendem investir mais nas habilidades de suas equipes. O número supera o que foi verificado no ano passado, quando 51% dos entrevistados demonstraram a mesma intenção.

O levantamento — que contou com 5 mil empresários de 32 países — teve como objetivo verificar possíveis formatos de retorno às atividades profissionais que existiam antes da pandemia.

As informações são do jornal Extra.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos