Mercado abrirá em 9 h 29 min
  • BOVESPA

    112.486,01
    +1.576,40 (+1,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.684,86
    +1.510,80 (+3,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,51
    -0,04 (-0,05%)
     
  • OURO

    1.787,80
    +27,90 (+1,59%)
     
  • BTC-USD

    17.116,10
    +95,30 (+0,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    405,77
    +5,08 (+1,27%)
     
  • S&P500

    4.080,11
    +122,48 (+3,09%)
     
  • DOW JONES

    34.589,77
    +737,24 (+2,18%)
     
  • FTSE

    7.573,05
    +61,05 (+0,81%)
     
  • HANG SENG

    18.834,13
    +236,90 (+1,27%)
     
  • NIKKEI

    28.261,29
    +292,30 (+1,05%)
     
  • NASDAQ

    12.044,25
    +2,00 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3965
    0,0000 (0,00%)
     

68,2% das mulheres negras trabalham em serviços domésticos no Rio

Hands with glove wiping doorknob
Pesquisa identificou ocupação de mulheres negras no mercado de trabalho (Getty Image)
  • Mais de metade das brasileiras negras trabalham com serviço doméstico

  • Apenas 15,2% atuam nos setores da comunicação, informação e financeiro

  • Durante a pandemia, este foi um dos grupos de trabalhadores mais atingidos pelo desemprego

O serviço doméstico tem cor e gênero bem definidos no Brasil. Segundo um estudo inédito da secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação (SMDEIS) do Rio de Janeiro, quase 7 a cada 10 mulheres negras trabalham como empregadas domésticas.

Leia também:

No total, apenas 15,2% do grupo atuam em áreas como informação, comunicação e atividades financeiras. Quando avaliado o campo da administração pública, o número cai para 10,8%.

Desemprego também é um desafio

Durante o período da pandemia, mulheres negras especialmente afetadas pela desemprego. Apenas no último ano, o número de participação no mercado de trabalho despencou de 56% para 47%.

Mesmo representando 22,5% da população em idade ativa, este grupo ocupava apenas 18% dos postos de trabalho formal no começo de 2021.

Escolaridade e desigualdade

Para além do mercado de trabalho, a disparidade racial é percebida na formação de novos profissionais. De acordo com o levantamento, 44% das brasileiras brancas têm ensino superior completo, enquanto apenas 21,3% das brasileiras negras terminaram a faculdade.