Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.049,22
    +0,93 (+0,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

6 marcas que cancelaram anúncios em sites de fake news

Mariana Naviskas
·1 minuto de leitura

Criado em 2016 nos EUA, o Sleeping Giants chegou ao Brasil em 2020 e já alcançou 380 mil seguidores. O movimento alerta empresas sobre anúncios automáticos de seus produtos em sites de fake news e desinformação.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Após o aviso, as empresas costumam retirar suas propagandas, diminuindo lucros dos canais duvidosos. Conheça sete companhias que já responderam ao movimento e estão contribuindo para uma internet mais segura.

1. Telecine

O canal de TV pausou a campanha e disse que todos os portais com o anúncio em questão seriam analisados.

2. Submarino

A empresa bloqueou o site de fake news e afirmou que tomaria as providências para evitar que a situação ocorresse novamente.

3. PicPay

“Já tomamos as devidas medidas para que nossa comunicação não esteja atrelada a estes sites”, respondeu o aplicativo.

4. Dell

A marca de hardware solicitou a retirada dos anúncios automáticos assim que recebeu o aviso. “Repudiamos qualquer disseminação de notícias falsas”.

5. Zoom

O comparador de preços disse não apoiar fontes de informações falsas e que as regras de publicidade automática seriam revistas.

6. O Boticário

A marca de beleza negativou o site e disse monitorar portais com anúncios e avaliar URLs tendenciosas em campanhas online.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube