Mercado fechará em 5 h 35 min
  • BOVESPA

    113.539,73
    +27,34 (+0,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.806,87
    +5,19 (+0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,43
    +0,90 (+1,04%)
     
  • OURO

    1.783,00
    -6,70 (-0,37%)
     
  • BTC-USD

    23.434,09
    -424,38 (-1,78%)
     
  • CMC Crypto 200

    555,97
    -16,85 (-2,94%)
     
  • S&P500

    4.273,12
    -32,08 (-0,75%)
     
  • DOW JONES

    33.966,98
    -185,03 (-0,54%)
     
  • FTSE

    7.509,89
    -26,17 (-0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.922,45
    +91,93 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    29.222,77
    +353,86 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    13.481,50
    -176,75 (-1,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2713
    +0,0395 (+0,75%)
     

6 empresas que realizaram demissões em massa em 2022

450 funcionários da Netflix foram demitidos no primeiro semestre de 2022. Foto: Getty Creative.
450 funcionários da Netflix foram demitidos no primeiro semestre de 2022. Foto: Getty Creative.
  • Uma onda de demissões em massas chegou a grandes empresas nos últimos meses;

  • Muitos trabalhadores criticam a forma como essas demissões coletivas foram conduzidas;

  • Tesla, Shopee e Quinto Andar estão entre as empresas que demitiram funcionários.

Uma onda de demissões em massas chegou a grandes empresas nos últimos meses. O complexo cenário macroeconômico mundial impactado pela pandemia do coronavírus e pela guerra na Ucrânia, deixou investidores e executivos receosos. Uma das consequências desse movimento de cautela por parte do mercado financeiro foi a demissão de dezenas e às vezes até centenas de funcionários no primeiro semestre de 2022 em corporações do setor de tecnologia e startups.

Muitos trabalhadores criticam a forma como essas demissões coletivas estão sendo conduzidas. Um caso emblemático ocorreu em 2009. Na ocasião, a Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica) demitiu 4.000 funcionários de uma só vez. Um processo aberto pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos foi para no Supremo Tribunal Federal (STF) que, no último dia 8 de junho, decidiu que as empresas precisam dialogar com os sindicatos antes de realizar dispensas em massa.

A tese dos ministros do Supremo foi a seguinte: "Intervenção sindical prévia é exigência procedimental imprescindível para dispensa em massa de trabalhadores, que não se confunde com autorização prévia por parte da entidade sindical ou celebração de convenção ou acordo coletivo."

A seguir, veja 6 casos de empresas que realizaram demissões em massa recentemente:

  1. Tesla

  2. Netflix

  3. Shopee

  4. Ebanx

  5. Maçã da Turma da Mônica

  6. Quinto Andar

Tesla

De acordo com dois ex-funcionários que moveram uma ação contra a Tesla, empresa que desenvolve carros elétricos, 500 empregados foram demitidos sem qualquer aviso prévio em junho. O processo busca remuneração e benefícios pelo período de notificação de 60 dias.

Mesmo diante dessa situação, o bilionário Elon Musk, CEO da montadora, anunciou no último Fórum Econômico do Catar a demissão de 10% dos funcionários assalariados nos próximos três meses devido à probabilidade de recessão nos Estados Unidos.

Netflix

Pela primeira vez em 11 anos, a Netflix perdeu 200 mil assinantes nos primeiros três meses de 2022. Depois dessa perda, a plataforma de streaming anunciou em maio a demissão de 150 funcionários em escritórios espalhados pelo mundo. Um segundo corte de cerca de 300 funcionários foi anunciado em junho. Com isso, 450 pessoas foram demitidas no total.

Em um comunicado oficial, a empresa disse lamentar a necessidade dos desligamentos. “ “Hoje, anunciamos com tristeza a demissão de cerca de 300 pessoas. Enquanto continuamos a investir significativamente em nosso negócio, nós fizemos ajustes para que os custos crescentes estejam alinhados com o nosso crescimento mais lento de receita”.

Shopee

A Shopee, plataforma de comércio eletrônico, demitiu ao menos 50 funcionários em junho e outros 100 prestadores de serviços temporários, da empresa de RH GiGroup, que atuavam em um centro de distribuição de Barueri. A companhia tem cerca de 1,5 mil trabalhadores no Brasil.

As demissões foram informadas no site Layoffs Brasil, que aponta o desligamento de funcionários de empresas e startups, e divulgadas pelo Estadão. O movimento acontece depois que a companhia encerrou sua política de frete grátis irrestrito para os consumidores.

Ebanx

A startup curitibana de pagamentos internacionais anunciou no fim de junho a demissão de 340 funcionários, cerca de 20% da força de trabalho da empresa no Brasil.

A Ebanx enviou um comunicado oficial à imprensa onde afirma que a decisão foi tomada levando em consideração “o cenário atual do mercado de tecnologia como um todo”. A frase é uma referência a quedas encaradas por outras big techs e startups.

A empresa informou ainda que os trabalhadores demitidos coletivamente, receberão um pacote de benefícios, que inclui, além da rescisão, extensão do plano de saúde, valores adicionais e o computador utilizado no trabalho.

Maçã da Turma da Mônica

A Fisher S/A Agroindústria, responsável por produzir as maçãs da Turma da Mônica, está sendo processada por inúmeras irregularidades trabalhistas, que envolvem acusações de trabalho escravo. Após uma paralisação das atividades de colheita para reivindicar melhores condições de trabalho e exigir o atendimento médico de colegas doentes, cerca de 200 trabalhadores foram demitidos, de acordo com informações do Ministério Público do Trabalho (MPT) e da Repórter Brasil.

Quinto Andar

Em abril, a empresa de venda e aluguel de imóveis online demitiu cerca de 800 funcionários, de um quadro de 4 mil, ou seja, 20% do total. As demissões ocorreram em todos os setores da companhia, incluindo recursos humanos, marketing e tecnologia, e em várias cidades, como Rio de Janeiro e São Paulo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos