Mercado fechado

5G deve ter 190 milhões de usuários até o final de 2020. E 2,8 bilhões em 2025

Rui Maciel

O mundo deverá ter 190 milhões de usuários de redes 5G espalhados pelo mundo até o final de 2020. Mas, esse número aumentará exponencialmente até 2025, quando 2,8 bilhões de pessoas utilizarão as redes móveis de quinta geração no planeta - um volume 15 vezes maior. Essa é uma das previsões da Ericsson e que foi divulgada na edição 2020 do relatório Mobility Report - divulgado pela companhia especializada no fornecimento de infraestrutura de telecomunicações,

Segundo o documento, a disseminação da COVID-19 durante o primeiro semestre de 2020 impactou todos os setores da sociedade mundo afora e isso inclui o de telecomunicações. No entanto, apesar da incerteza causada pela pandemia, os provedores de serviços continuaram a ativar suas redes 5G e mais de 75 deles já anunciaram lançamentos comerciais de serviços com esse padrão.

Com isso, a Ericsson aumentou a sua estimativa para o número de assinaturas 5G. Agora, a companhia projeta um número de 190 milhões de adeptos até o final de 2020. Isso se deve, principalmente, a uma adoção mais rápida na China do que o esperado anteriormente.

Para outras partes do mundo, a empresa realizou pequenos ajustes de suas estimativas, mas para baixo, principalmente por causa dos efeitos da pandemia. Ela afetou, por exemplo, vários leilões de espectro na Europa, que acabaram adiados, atrasando a implementação das redes. Com isso, a companhia prevê um adoção mais lenta
no ganho de assinaturas 5G no curto prazo. Atualmente, a companhia possui mais de 93 acordos comerciais de 5G ou contratos com provedores de serviços de comunicação exclusivos, dos quais 40 são redes em funcionamento.

Além da Europa, as previsões de assinaturas 5G para 2020 e 2021 na América do Norte também foram ligeiramente reduzidas pela Ericsson, em comparação com as estimativas anteriores. No entanto, a companhia espera que a ambas as regiões atinjam os mesmos números de assinatura 5G até 2025, como estimado na edição anterior do relatório.

Durante o perído analisado para os previsões, a Ericsson espera que a adição dos serviços 5G seja significativamente mais rápida que a do LTE (4G), após seu lançamento em 2009. Os principais fatores são o envolvimento anterior da China com o 5G em comparação com o 4G, bem como a disponibilidade anterior de dispositivos, quando havia um número mais limitado de fornecedores. Com isso, até o final de 2025, a estimativa é de que haja 2,8 bilhões de assinaturas 5G pelo mundo, respondendo por cerca de 30% de todas as assinaturas móveis nesse ano.

Além disso, o LTE continuará sendo a tecnologia dominante de acesso móvel por assinatura durante o período de previsão. É projetado que o 4G atinja o pico em 2022, com 5,1 bilhões de assinaturas e declínio para cerca de 4,4 bilhões até o final de 2025, à medida que mais assinantes migrarem para 5G.

Mobile cada vez mais dominante

O relatório da Ericsson aponta também como o mobile ganhará cada vez mais espaço. O documento estima que, em 2025, 88% das assinaturas serão projetadas para ser de banda larga móvel. Hoje, existem cerca de 8 bilhões de dispositivos conectados (entre PCs, smartphones, tablets e afins), sendo que esse número deve aumentar para 8,9 bilhões até o final de 2025, dos quais 88% serão voltados para banda larga móvel. Esta estimativa é um pouco menor do que o previsto anteriormente, devido a uma declínio mais lento do 2G (somente GSM / EDGE) principalmente na região da Índia. Com isso, o número de assinantes que usam apenas dispositivos mobile deve chegar a 6,3 bilhões no período final da previsão.

O estudo afirma qu a penetração de smartphones continua aumentando. As assinaturas associadas desse tipo de dispositivo móvel, hoje, representam cerca de 70% de todos os telefones celulares. Além disso, havia 5,5 bilhões de assinaturas de smartphones no final de 2019. Em em 2025, a previsão é de que este número atinja 7,5 bilhões em 2025, o que representará cerca de 85% de todas as assinaturas móveis.

Para completar, as assinaturas de banda larga fixa devem apresentar um crescimento limitado, de cerca de 4% ao ano, até 2025. As assinaturas de PCs e tablets móveis devem apresentar uma evolução moderada, atingindo cerca de 390 milhões em 2025.

Crescimento das FWA

O Mobility Report também prevê-se que as chamadas conexões sem fio fixas (FWA) atingirão quase 160 milhões de usuários até o final de 2025, totalizando cerca de 25% do tráfego de dados da rede móvel global e atingindo 53 exabytes. Esse será um crescimento de quase 8 vezes em comparação aos números do final de 2019, quando o tráfego global de dados dessa tecnologia havia sido estimada em cerca de 15% do total global.

As FWA de 4G ou 5G são uma alternativa cada vez mais econômica para o fornecimento de banda larga. É um mercado impulsionado por vários tipos de atividade, como as demandas de consumidores e empresas por serviços digitais, além de programas e subsídios patrocinados pelo governo.

Para acessar a edição 2020 do Ericsson Mobility Report, clique aqui para fazer o download (em inglês).

Fonte: Canaltech