Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,88 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,40 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,07 (+0,06%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,00 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    29.971,30
    +484,47 (+1,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,80 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,54 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,23 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -2,75 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1406
    -0,0782 (-1,50%)
     

5G derrapa no Brasil e deve ter inauguração adiada em várias capitais

O prazo inicial definido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para o início da operação do 5G standalone no Brasil não deverá ser cumprido em diversos locais do país. Por conta de dificuldades enfrentadas para instalação de infraestruturas, 17 capitais nacionais não estão em condições de colocar a tecnologia para funcionar antes de julho.

Apenas nove capitais possuem legislação que prevê instalação de antenas 5G (Imagem: Unsplash/Montagem: Matheus Bigogno)
Apenas nove capitais possuem legislação que prevê instalação de antenas 5G (Imagem: Unsplash/Montagem: Matheus Bigogno)

O edital para o leilão do 5G realizado no ano passado definiu algumas regras que precisam ser cumpridas pelas companhias que arremataram lotes. A documentação prevê que cada empresa coloque pelo menos uma antena para cada 100 mil habitantes nas capitais, algo que não deverá ser realizado a tempo.

Uma das maiores dificuldades enfrentadas pelas operadoras é a limitação imposta pelos municípios em relação a quantidade de antenas que podem ser instaladas em uma determinada área. Como as ondas do 5G são mais curtas, estima-se que dez vezes mais pontos de emissão serão necessários.

Entretanto, um maior número de antenas não deve causar grandes alterações na paisagem urbana, já que cada estrutura tem dimensões bem menores que as utilizadas atualmente. Das 27 capitais nacionais, apenas nove já possuem legislações que preveem instalações em áreas como postes de iluminação e prédios.

O Ministério das Comunicações apontou ao O Globo que trabalha junto às prefeituras para agilizar o processo de modernização das leis locais, mas ainda há um longo caminho pela frente. É provável que o prazo inicial seja alterado em dois meses — portanto, até o mês de setembro.

5G DSS está disponível em 60 cidades

Ícone do 5G que aparece em dispositivos no Brasil não diz respeito às capacidades reais da tecnologia (Imagem: Gadget Hacks)
Ícone do 5G que aparece em dispositivos no Brasil não diz respeito às capacidades reais da tecnologia (Imagem: Gadget Hacks)

Usuários mais atentos de dispositivos que já possuem suporte ao 5G podem ter reparado que a barra superior do display indica a utilização da tecnologia, especialmente em áreas centrais.

Entretanto, esta sinalização diz respeito apenas ao chamado 5G DSS, aquele que utiliza infraestrutura do 4G em uma combinação de frequências que deixa a velocidade mais rápida —, nada próximo das capacidades máximas do 5G standalone, ou seja, “puro”.

De acordo com informações da Anatel, 60 cidades brasileiras disponibilizam o 5G DSS, que está acessível para aproximadamente 1,7 milhão de cidadãos. Após o início da instalação do 5G standalone nas capitais, o projeto de expansão das redes prevê que todos os municípios serão contemplados com a tecnologia até 2029.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos