Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.512,38
    +480,38 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.801,68
    +163,28 (+0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,90
    +0,37 (+0,43%)
     
  • OURO

    1.789,90
    +0,20 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    23.892,67
    +16,48 (+0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    569,15
    -2,76 (-0,48%)
     
  • S&P500

    4.305,20
    +8,06 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.152,01
    +239,61 (+0,71%)
     
  • FTSE

    7.536,06
    +26,91 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    19.830,52
    -210,38 (-1,05%)
     
  • NIKKEI

    28.868,91
    -2,89 (-0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.647,75
    -10,50 (-0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2333
    +0,0548 (+1,06%)
     

57% dos eleitores têm R$ 200 para cobrir uma emergência, diz PoderData

Pesquisa é do PoderData (Getty Images)
Pesquisa é do PoderData

(Getty Images)

  • Mais da metade dos eleitores teriam R$ 200 para bancar uma emergência;

  • Taxa é 17 pontos percentuais maior que a de 2020;

  • Recortes mostram que os que mais têm condições são homens, nordestinos, entre 25 e 44 anos.

Mais da metade dos eleitores (57%) afirmaram, ao PoderData, que teriam R$ 200 para cobrir alguma emergência. A taxa é 17 pontos percentuais maior que a de setembro de 2020, primeira vez que a divisão de pesquisas do jornal Poder360 fez a pergunta aos entrevistados.

Em contrapartida, 32% dos eleitores não conseguiriam viabilizar a quantia para a suposta eventualidade, taxa que caiu 23 pontos percentuais em quase dois anos. Outros 11% não sabem se teriam o dinheiro.

Realizada entre 17 e 19 de julho deste ano, a pesquisa contou com 3 mil entrevistas feitas por ligações para celulares e telefones fixos, em 309 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Recortes

Dos entrevistados do sexo masculino, 62% afirmaram ter os R$ 200 em caso de emergência. A taxa cai 10 pontos percentuais (para 52%) no caso das mulheres. Com relação à idade, a fatia da população que mais tem condições é a de 25 a 44 anos (61% têm o dinheiro). A régua é equilibrada para as demais faixas etárias.

Quanto à região, é no Nordeste onde os eleitores mais conseguiriam cobrir a emergência nesse valor (62%). No recorte por renda familiar, quem ganha mais de 5 salários mínimos se sairia melhor, com 71% dizendo ter a quantia. Veja abaixo:

O PoderData ainda fez um outro recorte na pesquisa: R$ 200 para emergência x aprovação de Bolsonaro. No caso do grupo que apoia a gestão do atual presidente, 73% dispõem da reserva; 16% estão em situação contrária.

Já entre os opositores, 46% acreditam que teriam o dinheiro e 43% disseram que não teriam como bancar a emergência.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos