Mercado abrirá em 9 h 18 min

5 youtubers brasileiros que ensinam tudinho sobre música

Nathan Vieira
·8 minutos de leitura

Com a ascensão do YouTube, ficou muito mais fácil o acesso a novos aprendizados. E principalmente nesta quarentena, aprender algo novo pode vir a calhar. Para você que tem interesse em descobrir como tocar um instrumento musical ou mesmo aperfeiçoar técnicas que já conheça, a plataforma de vídeos pode ser um prato cheio. Com isso em mente, trazemos aqui cinco youtubers brasileiros que podem te ensinar tudo sobre música, desde o básico do básico até o mais avançado.

MusicDot

O canal MusicDot, que atualmente reúne 549 mil inscritos, traz especialistas em diferentes instrumentos musicais, com direito a lives para tirar dúvidas, além dos conteúdos didáticos. Fora do YouTube, a MusicDot é justamente uma escola de música online, com conteúdo pago. Em conversa com a equipe do Canaltech, o professor de teclado Pedro Lopes conta que logo no início foi notado que o Youtube poderia ser um espaço para divulgar material e captar alunos.

"A princípio, o objetivo do canal era ter um portifólio aberto ao público com algumas de nossas aulas do curso. Logo em seguida, apareceram as ideias de ajudarmos os alunos mais de perto e começamos a fazer algums vídeos e Lives para apresentar conteúdos que não estavam no curso, como pequenas dicas, conteúdos rápidos, além de reviews de instrumentos, tudo para ajudar o pessoal no estudo de dentro da plataforma", conta o músico.

Pedro conta que a dificuldade de criar conteúdo para o canal está, primeirameente, em condensar todos os instrumentos de uma escola de música em um só canal. Então é mais difícil fidelizar o público, já que uma pessoa que tem interesse em um vídeo de bateria não necessariamente quer ver um vídeo de canto no dia seguinte. "Ainda nesse ponto, há as diversas tribos de música que precisam ser representadas, mas que muitas vezes não convivem bem juntas. Então, naturalmente, você acaba criando um viés mais próximo do seu gosto pessoal e descontentando várias pessoas", relata.

O youtuber ressalta que o vídeo de conteúdo musical educativo ainda sofre com dificuldades como a falta de instrumento nas casas das pessoas, a dificuldade de acesso a materiais (partituras, métodos e acessórios) e um público muito leigo no assunto, que não foi devidamente preparado na educação básica escolar para ter o mínimo conhecimento. "Com isso, as pessoas chegam com muitas dúvidas, muitos vícios de mau aprendizado, ou mesmo com a sensação de que tocar um instrumento é algo que beira o impossível, algo mágico. Tudo isso somado diminui bastante o engajamento do público geral".

Questionado sobre a importância de gerar interesse por arte e especificamente pela música, Pedro afirma: "A música melhora diversos aspectos da nossa vida, como memória, raciocínio, trabalho em grupo, comunicação, bem estar, etc. Mas a arte não precisa de motivos para ser consumida. Ela, por si só, tem a capacidade de transformar as pessoas, de mostrar o belo, de nos unir a algo que transcende o raciocínio e que nem sabemos explicar. Portanto, a arte deve ser difundida porque ela nos faz seres humanos mais completos e felizes, simples assim".

Pedro observa que, por conta da quarentena, muitas pessoas passaram a ter mais tempo livre, e a falta de possibilidades de lazer também precisou ser preenchida. "A música sempre tem essa cara de entretenimento, mesmo sendo mais difícil que muitas matérias técnicas. As pessoas sabem como a música preenche a alma, já tem enraizado o gosto pela música, então o que faltava era a chance de começar. A pandemia acabou viabilizando isso, tanto pela sobra de tempo, a necessidade de fazer algo novo, como pela mentalidade nova de que o online não é um problema, apenas uma variação da forma de ensinar", conclui.

Descomplicando a Música

O canal Descomplicando a Música conta com mais de 600 mil inscritos. Conversando com o músico Natanael, criador do canal, descobrimos que a ideia surgiu inicialmente com o objetivo de ilustrar alguns conceitos do site de forma mais dinâmica utilizando animação. "Os vídeos seriam hospedados no Youtube e mostrados no site na forma de embed. Posteriormente, ao observar que novos seguidores surgiram diretamente do Youtube, veio a decisão de gravar aulas práticas utilizando uma câmera e investir na produção de conteúdo exclusiva para o Youtube", relembra o youtuber.

Natanael conta que, para quem mora em apartamento, uma das dificuldades é conseguir qualidade na gravação, pois além de se preocupar com o microfone que captura a voz, ainda é necessário capturar o áudio de um instrumento, e no caso do teclado, capturar também os movimentos das teclas utilizando outro software. "Porém, a maior dificuldade de ter um canal de música são os direitos autorais. Gostaria de ensinar muitas músicas que são protegidas por direitos, então apesar de muitas pessoas na internet publicarem sem autorização, nós respeitamos e tentamos contato para obter autorizações, o que na grande maioria das vezes resulta em "não" ou ainda silêncio como resposta".

Natanael opina que a restrição de interações e obtenção de conteúdo no formato somente online reforçou o conceito de que estamos na era da informação digital, não mais na era dos materiais ou encontros físicos. "Apesar de já termos tecnologia para uma total digitalização da indústria musical, boa parte dos músicos ainda tem uma mentalidade old school. Acredito que a pandemia tenha trazido reflexões importantes para essas pessoas", afirma.

Para Natanael, a arte é uma das manifestações mais antigas da capacidade intelectual humana. "Apreciar obras artísticas é uma atividade muito saudável e prazerosa para o espectador, além de estimular a cognição de ambos espectador e artista. O interesse pela arte abre horizontes e torna a vida mais envolvente", observa o youtuber. "A música, por exemplo, tem a capacidade de mudar o humor de uma pessoa em poucos minutos. Em um mundo onde ansiedade e depressão têm crescido a uma taxa preocupante, é imensurável a importância de tais recursos", Natanael conclui.

João Bemol

O Canal João Bemol surgiu num momento em que o músico Le Santana pôde desacelerar a rotina. Até 2013, o criador do canal era músico de bandas, aulas e gravações, e estava sempre na estrada, com tempo completamente escasso. Em 2014, ele abandonou os palcos para se dedicar à sala de aula. No canal, que já acumula mais de 1 milhão de visualizações, há um conteúdo muito diverso, apesar do foco ser as aulas de teoria musical.

Para Le, especificamente nesse momento histórico/social, a arte está sob ataque, mas as coisas já eram difíceis antes. "Artes, de maneira geral, são atividades consideradas 'não essenciais'. Durante todos os anos em que eu trabalhei tocando com artistas e bandas, eu tinha a sensação de que cada vez menos pessoas estavam dispostas a pagar para ouvir música de qualidade. Se a qualidade deixa de ser uma condição para que as pessoas consumam música, a perspectiva financeira fica instável", argumenta o criador de conteúdo.

A tecnologia vem ajudado a música de várias maneiras, segundo o youtuber. "Hoje um músico prático consegue registrar suas inspirações com o gravador de um celular, é possível gravar multi-pista com um computador caseiro ou até mesmo num smartphone, e há plataformas de áudio e vídeo que substituíram as mídias físicas, então muita gente que sequer considerou a possibilidade de gravar um disco, tem um canal e grava suas composições e as joga para o mundo", aponta.

No entanto, no que diz respeito a criar conteúdo, Le acredita que o mais desgastante é a construção de um público. "Tem a questão do algoritmo, que decide por conta própria os conteúdos que vão reverberar mais ou menos e quem produz conteúdo fica tentando decifrar isso para saber para lado remar. Quando se quer produzir um conteúdo consistente, a despeito do que for tendência, as possibilidades de crescimento caem vertiginosamente".

O professor reitera que entender e aprender música é um desses motores para uma sociedade mais saudável, mais crítica, mais inteligente e consciente. "A arte, tanto para quem produz, quanto para quem consome é um delineador das nossas percepções da realidade. Acredito que há um papel social enorme em ajudar as pessoas a entender como as canções são feitas e o que elas têm a nos dizer".

Cifra Club

Quando se trata de aulas de música, o Cifra Club é um dos canais mais famosos do nicho, com quase 6 milhões de inscritos. O site está no ar desde 1996 e seu canal no YouTube conta com mais de 4 mil vídeos ensinando a tocar violão, guitarra, baixo e bateria, além de aulas de canto e teoria musical.

O Cifra Club também conta com um aplicativo destinado a ensinar os usuários, e o site tem mais 12 milhões de pessoas cadastradas. Vale lembrar também que há um acervo com mais de 550 mil cifras e tablaturas, disponibilizado gratuitamente em todas as plataformas, além de ferramentas como o Afinador, Dicionário de Acordes e Metrônomo.

Heitor Castro

Se você está procurando aulas de violão, especificamente, é possível encontrar no canal do Heitor Castro, que atualmente conta com 1,6 milhões de inscritos, e já hospedou mais de 800 vídeos. A ideia do canal é explorar conteúdo de violão para iniciantes, intermediários e avançados, além de trazer também aulas de guitarra, baixo e até comparações de instrumentos e análise de cenários musicais.

a

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: