Mercado abrirá em 13 mins

5 motivos para NÃO comprar a Nissan Frontier

Redesenhada em sua versão 2023, a Nissan Frontier chegou ao mercado brasileiro disposta a ganhar a briga com as principais concorrentes, e já mostrou que tem atributos de sobra para agradar ao consumidor que não abre mão de uma picape bonita, mas, acima de tudo, resistente.

Como é comum em todos os produtos e segmentos, não apenas no ramo automotivo, a Nissan Frontier também tem alguns pontos que podem ser melhorados para tornar o carro ainda mais atrativo e competitivo no mercado.

Foi com esse olhar atento que a reportagem do Canaltech preparou uma listinha com 5 motivos para NÃO comprar a Nissan Frontier.

5 - Conectividade

Ao mesmo tempo em que dá um show de tecnologia nos itens relacionados à segurança, a Nissan Frontier deixa a desejar no campo da conectividade, item fundamental por quem está na busca por um carro novo, picape ou não, nos dias atuais.

A versão 2023 da Frontier não oferece, por exemplo, GPS nativo, algo que muitos modelos inferiores, e com preços mais convidativos, dão aos proprietários. Por isso, a conectividade limitada abre a relação de 5 motivos para NÃO comprar a Nissan Frontier.

Nova Frontier fica devendo um pouco no quesito conectividade (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)
Nova Frontier fica devendo um pouco no quesito conectividade (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

4 - Central multimídia

A central multimídia da Nissan Frontier 2023 não é ruim. Mas poderia ser melhor. Ela é exatamente a mesma, de 8 polegadas, e compatibilidade via cabo com Android Auto ou Apple Carplay que equipava a geração anterior.

Central multimídia da Nissan Frontier poderia ter sido modernizada (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)
Central multimídia da Nissan Frontier poderia ter sido modernizada (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

3 - Quer capota marítima? Então paga!

A capota marítima, que dá ao visual da Nissan Frontier um ar mais sofisticado ao cobrir toda a caçamba, ao contrário do que pensávamos, não sai de fábrica nem mesmo na versão topo de linha, PRO 4X, como a testada pela reportagem.

Quem quiser contar com o acessório terá que desembolsar por isso. A montadora oferece, em seu site oficial, tanto a versão tradicional quanto a elétrica, que permite a abertura e o fechamento por meio de controle remoto. Os preços, no entanto, não estão disponibilizados e precisam ser consultados.

Capota marítima é vendida como acessório, mesmo na versão topo de linha (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)
Capota marítima é vendida como acessório, mesmo na versão topo de linha (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

2 - Acabamentos

Apesar de bela por fora e por dentro, a Frontier, que tem preços variando entre R$ 230 mil e R$ 314 mil, poderia ter um acabamento interno um pouquinho mais caprichado. Claro que trata-se de uma picape, mas o uso excessivo de plástico duro, com o passar do tempo, e com as aventuras que o motorista deve encarar com ela, tendem a causar barulhos desnecessários.

Uso excessivo de plástico duro nas portas e nos painéis da Frontier desagrada (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)
Uso excessivo de plástico duro nas portas e nos painéis da Frontier desagrada (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

1 - Preço

O último item da lista de 5 motivos para não comprar a Nissan Frontier é justamente o preço. Ela é oferecida em 6 versões (S, SE, Attack, XE, Platinum e PRO 4X), todas com preços superiores a R$ 200 mil (R$ 300 mil no caso das duas últimas).

Por este valor, o cliente interessado em comprar uma picape robusta, forte e com bom desempenho, pode acabar pendendo para modelos das principais concorrentes, como a Toyota Hilux, que tem preços variando entre R$ 145 mil (SR CD 4x2 AUT.) e R$ 241,9 mil (SRX CD 2.8 AUT.).

Preço da Frontier é mais alto do que de algumas rivais, como a Hilux (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)
Preço da Frontier é mais alto do que de algumas rivais, como a Hilux (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: