Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.102,61
    -2.686,72 (-2,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.378,14
    -1.085,89 (-2,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,23
    -3,17 (-2,82%)
     
  • OURO

    1.814,90
    -4,00 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    29.135,82
    -971,30 (-3,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    651,48
    -19,20 (-2,86%)
     
  • S&P500

    3.923,68
    -165,17 (-4,04%)
     
  • DOW JONES

    31.490,07
    -1.164,52 (-3,57%)
     
  • FTSE

    7.438,09
    -80,26 (-1,07%)
     
  • HANG SENG

    20.644,28
    +41,76 (+0,20%)
     
  • NIKKEI

    26.911,20
    +251,45 (+0,94%)
     
  • NASDAQ

    11.888,25
    -672,00 (-5,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2165
    +0,0061 (+0,12%)
     

5 motivos para NÃO comprar o Fiat 500e

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O Fiat 500e, compacto 100% elétrico da marca italiana, tem excelentes motivos que podem convencer o consumidor ansioso por uma opção menos poluente a gastar alguns milhares de reais na compra.

Há, por outro lado, pontos que podem ser vistos como impeditivos na hora da decisão final e têm chance de pesar contra o Fiat 500e na luta contra outros modelos do mesmo patamar, elétricos ou movidos a combustão.

Pensando nisso, o Canaltech listou 5 motivos para não comprar o Fiat 500e.

5. Espaço interno

O Fiat 500e tem no espaço interno seu principal problema. Apesar de ser propagandeado pela marca como um carro 2 + 2 (duas pessoas na frente e duas atrás) ele é, na verdade, 2 + 0 ou, forçando muito, 2 + 1. Desde que nenhum dos “2” ou o “1” não sejam muito altos.

Carro, em teoria, comporta quatro pessoas, mas os dois atrás não terão vida fácil (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)
Carro, em teoria, comporta quatro pessoas, mas os dois atrás não terão vida fácil (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Durante a experiência da reportagem, constatamos ser impossível andar em quatro pessoas no modelo, pelo menos em nosso caso. O repórter, com 1,87 metro, inviabilizou a presença de um ocupante no banco traseiro. Do lado do passageiro, foi possível colocar uma pessoa na frente e outra atrás, mas ambas com menos de 1,70 m de altura.

Sentar atrás do motorista no Fiat 500e não é uma missão para qualquer um (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)
Sentar atrás do motorista no Fiat 500e não é uma missão para qualquer um (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

4. Acabamento

Mais um ponto negativo e, por que não dizer, decepcionante em um carro que bate os R$ 260 mil, é o acabamento. Apesar de pontos bem chamativos, como os bancos bem trabalhados e o volante, a quantidade de plástico duro no painel e nas portas do Fiat 500e é assustadora — e um convite a barulhos irritantes quando o carro se tornar mais rodado.

Plástico duro no painel e nas portas é ponto negativo do Fiat 500e (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)
Plástico duro no painel e nas portas é ponto negativo do Fiat 500e (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

3. Teto solar

O Fiat 500e tem um acessório bastante charmoso, mas pouco funcional. O teto solar do compacto da Stellantis, na verdade, funciona mais como um aquecedor solar, principalmente nos dias em que a temperatura está muito elevada.

Isso acontece por um motivo simples: a montadora optou por colocar apenas uma persiana furadinha para “fechar” o espaço do teto. Isso faz com que o carro fique quente em excesso nos dias em que a temperatura está elevada.

Furinhos na rede do teto solar impedem que carro fique completamente protegido do sol (Imagem: Divulgação/Stellantis)
Furinhos na rede do teto solar impedem que carro fique completamente protegido do sol (Imagem: Divulgação/Stellantis)

2. Ajustes dos bancos

Assim como o acabamento em plástico no painel, os ajustes dos bancos do Fiat 500e são, de certa forma, ultrapassados e decepcionantes. Afinal, em um carro recheado de tecnologia, o mais compatível era que tais recursos fossem eletrônicos, certo?

A Stellantis, no entanto, optou por deixar os ajustes de altura e distância manuais, como nos carros mais populares, tanto para o banco do passageiro quanto para o do motorista. Uma bola fora, mas que é fácil de corrigir, não é gente?

Ajuste dos (belos) bancos do Fiat 500e não condiz com a tecnologia do carro (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)
Ajuste dos (belos) bancos do Fiat 500e não condiz com a tecnologia do carro (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

1. Preço

Fechando a lista de 5 motivos para não comprar o Fiat 500e está o preço. “Ah, mas todo carro elétrico é caro”, você pode argumentar. Sim, é verdade, mas o compacto italiano tem o preço salgado quando comparado a outros modelos que os quase R$ 260 mil necessários para colocá-lo em sua garagem poderiam comprar.

Por um preço similar, por exemplo, é possível levar para casa o JAC E-JS4, SUV 100% elétrico da montadora chinesa, ou o E-J7, sedan recém-lançado da mesma marca e que já mostrou excelentes atributos ao ser testado pelo Canaltech na pista do Haras Tuiuti.

A proposta de ambos, claro, é bem diferente da do Fiat 500e, e nenhum dos modelos da JAC entrega o pacote tecnológico, principalmente o relacionado à segurança, aos proprietários. Os chineses compensam, no entanto, em desempenho, conforto e acabamento interno superiores.

O preço do Fiat 500e, na casa dos R$ 260 mil, fecha lista de 5 motivos para NÃO comprar o modelo (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)
O preço do Fiat 500e, na casa dos R$ 260 mil, fecha lista de 5 motivos para NÃO comprar o modelo (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos