Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -658,25 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,52 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,07 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,80 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    13.034,11
    +16,58 (+0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,13 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,29 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +5,75 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6608
    +0,0507 (+0,77%)
     

5 melhores filmes para assistir no Dia do Documentário Brasileiro

Nathan Vieira
·5 minutos de leitura

Muita gente pode não saber, mas o cinema nasceu do documentário, quando a primeira câmera registrou A Chegada do Trem na Estação, dos irmãos Lumiére. Sendo assim, foi esse gênero que lançou a sétima arte para o mundo. Nesta sexta-feira (7), comemoramos especificamente o Dia do Documentário Brasileiro. Por isso, o Canaltech fez uma lista com cinco títulos nacionais que você não pode deixar de assistir, principalmente tendo essa data em mente.

É indiscutível a importância desse gênero audiovisual, e essa data não foi escolhida por acaso. Trata-se de uma homenagem ao aniversário do cineasta Olney São Paulo, autor de O profeta de Feira de Santana (1970) e Ciganos do Nordeste (1976). Olney São Paulo foi preso e torturado no período da ditadura militar devido ao filme Manhã Cinzenta (1969), sobre o primeiro sequestro de um avião brasileiro, por membros da organização MR-8. Mas agora que você já sabe a história por trás dessa comemoração, vamos aos títulos:

5. O Mercado de Notícias

Quer entender qual é o papel da mídia na sociedade? Assista ao documentário O Mercado de Notícias. Escrito e dirigido por Jorge Furtado, trata sobre mídia e democracia, que intercala depoimentos de treze jornalistas brasileiros com trechos da peça "The Staple of News", escrita pelo inglês Ben Jonson em 1625, quando do surgimento do jornalismo, e traduzida por Jorge Furtado e Liziane Kugland. A comédia de Jonson, montada e encenada especialmente para a produção do filme, revela sua espantosa visão crítica, capaz de perceber na imprensa de notícias, recém-nascida, uma invenção de grande poder e grandes riscos.

Esse documentário ainda traz entrevistas com importantes nomes do jornalismo brasileiro: Bob Fernandes, Cristiana Lôbo, Fernando Rodrigues, Geneton Moraes Neto, Janio de Freitas, José Robert Toledo, Luis Nassif, Leandro Fortes, Paulo Moreira Leite, Maurício Dias, Mino Carta, Raimundo Pereira, Renata Lo Prete.

4. O Crítico

Enquanto O Mercado de Notícias fala sobre a imprensa, O Crítico fala sobre cinema, basicamente. A ideia surgiu a partir do questionamento pessoal de Kleber Mendonça Filho, enquanto crítico profissional, de como se posicionar na indústria cultural sendo também um cineasta. Com mais 70 entrevistas entre críticos e cineastas do Brasil e do exterior, o filme discute o cinema a partir dos conflitos entre artistas, observadores, criadores e críticos. Dentre os entrevistados presentes no produto audiovisual constam Eduardo Coutinho, Walter Salles, Gus Van Sant, Fernando Meirelles, João Moreira Salles, Richard Linklater, Cláudio Assis, Costa Gavras e Nelson Pereira dos Santos.

Este documentário de Kleber Mendonça é resultado da montagem de 8 anos de captação documental, com uma câmera Mini-DV, e esclarece dúvidas referentes ao dia-a-dia daqueles que estão envolvidos com o meio audiovisual e, acima de tudo, traz importantes reflexões sobre o papel teórico, documental, e cinéfilo do crítico.

3. Cabra Marcado para Morrer

Outro documentário para assistir em homenagem ao Dia do Documentário Brasileiro é Cabra Marcado para Morrer, que foi lançado em 1984 mas começou a ser produzido em 1964. A ideia, no início, era contar a história do líder da liga camponesa de Sapé, na Paraíba, João Pedro Teixeira, assassinado em 1962, mas com o golpe militar, a locação no engenho da Galiléia foi cercada, e as filmagens interrompidas.

Quase 20 anos depois, Eduardo Coutinho voltou ao lugar e reencontrou a viúva de João Pedro, Elisabeth Teixeira – que estava vivendo na clandestinidade, e tantos outros camponeses que participaram das gravações. Foi principalmente essa obra que deu mais visibilidade ao cineasta Eduardo Coutinho, que acabou se tornando uma referência do gênero.

2. Serras da Desordem

Lançado em 2006, com direção de Andrea Tonacci, o roteiro de Serras da Desordem apresenta a história de Carapirú. Um índio nômade, que escapa de um ataque surpresa de fazendeiros. Durante 10 anos ele perambula sozinho pelas serras do Brasil central, até ser capturado em novembro de 1988, a 2000 km de distância de sua fuga inicial.

Esse documentário nacional acompanha sua trajetória de quando é levado para Brasília pelo sertanista Sydney Ferreira Possuelo, em uma semana ele se torna manchete por todo país e centro de uma polêmica entre antropólogos e linguistas em relação à sua origem e identidade. Em busca de suas origens, ele reencontra um filho, retorna ao Maranhão e lida com as diferenças de sua vida nômade.

1. Entre a Luz e a Sombra

Para encerrar a nossa lista de documentários brasileiros, que tal um onde somos levados para dentro de presídios e instituições para menores infratores e nos deparamos com uma realidade que muitos desconhecem: o mundo carcerário? Entre a Luz e a Sombra, de Luciana Burlamaqui, traz por meio de relatos de presidiários, familiares e amigos, um pouco mais sobre como é viver na prisão.

Várias questões são abordadas através do filme, assuntos recentes como a maioridade penal e a necessidade de uma reforma em nosso sistema carcerário. Entretanto, é válido notar que o foco principal do documentário em questão é justamente a histórias de cada uma dessas pessoas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: