Mercado fechado

5 filmes que todo fã de automobilismo precisa assistir

Sihan Felix

Com a proximidade da estreia de Ford vs Ferrari, o sangue de piloto frustrado deste crítico que aqui escreve deu uma esquentada. Repensar cada filme dessa lista foi uma sofrência. Em parte porque revivi muito do meu desejo de menino da periferia que sonhava em ser piloto de Fórmula 1; em parte por lembrar das madrugadas assistindo a corridas de Ayrton Senna e depois de Michael Schumacher; em parte porque percebi que esse desejo morreu aos poucos – claro, a idade chega e vai matando o que ela não mais comporta. Mas enfim...

Pensando nisso e em muito mais, nenhuma lista minha tem qualquer pretensão de ser exata, definitiva ou qualquer coisa do tipo. Os filmes citados e brevemente resenhados mais abaixo servem como indicações para quem não os assistiu ou para quem gostaria de reassisti-los. Para mim, é óbvio que, dentro da história centenária do cinema, podem ser encontrados outros tão bons quanto ou até melhores, mas isso sempre dependerá de questões subjetivas e, na maioria das vezes, bem pessoais.

Sem mais demora e dentro dessa abordagem sem verdades absolutas, vamos à lista dos 5 filmes que todo fã de automobilismo precisa assistir:

1. 500 Milhas (Winning)

É possível que, atualmente (2019), 500 Milhas seja uma grande massa de clichês e plot twists previsíveis. Até mesmo no final dos anos 1960, o filme já parecia que não resistiria muito bem ao tempo. E isso se provou verdade: a crueldade do passar dos anos foi quase letal para o filme dirigido por James Goldstone (de Terror na Montanha Russa, 1977). Por outro lado, Paul Newman é tão carismático no papel de Frank Capua – o protagonista – que acaba por se tornar uma figura hipnótica mesmo nos momentos mais bobos, tão bobos quanto revela a sinopse do filme.

Sonhando em vencer as 500 milhas de Indianápolis, um piloto (Paul Newman) entrega-se ao risco de perder a própria esposa (Joanne Woodward) para o maior rival. A verdade é que Woodward, como Elora, é tão ou mais cativante que o próprio Newman e 500 Milhas é um filme que vale a pena pela inocência e pelo elenco. E, claro, pela nostalgia que, cinco décadas depois, tornou-se quase brega.

2. 1: Life On The Limit

Os melhores filmes que trazem algum esporte como elemento central geralmente são sobre muito mais do que o esporte em si. Quando um resultado desse tipo é alcançado por um documentário, a sensação pode ser de um agradecimento sincero, interno, pela existência do filme. 1: Life On The Limit, dirigido por Paul Crowder (de The Last Play at Shea, 2010), reconstrói a era de ouro da Fórmula 1 de uma forma tão intensa que é possível perceber até mesmo na voz de Michael Fassbender (o narrador) uma empolgação genuína. O período mais mortal do esporte de velocidade sobre quatro rodas é entrelaçado com as histórias de vida de pilotos que correram em seus limites e que mudaram tudo para sempre. É um filmaço.

3. Grand Prix

Talvez Grand Prix seja o filme mais icônico desta lista. Mas não porque venceu três Oscars (incluindo o de Melhor Edição/Montagem), mas por ter sido construído a partir de um roteiro essencialmente dramático (escrito por Robert Alan Aurthur) sem cair em armadilhas como 500 Milhas. Afora de ser um marco com a montagem dinâmica do trio Henry Berman, Stu Linder e Frank Santillo, Grand Prix conta com a participação de pilotos reais da Fórmula 1, como os multicampeões Juan Manuel Fangio, Jack Brabham, Graham Hill e Jim Clark, além de Bruce McLaren.

4. Senna

Provavelmente, Senna é o documentário com essa pegada esportiva mais comentado e festejado dos últimos muitos anos. E é o que mais me fez chorar. Mas as lágrimas não foram exatamente emotivas. Há uma consciência na direção de Asif Kapadia (que cinco anos depois dirigiria o excepcional Amy) que humaniza Ayrton Senna, separando-o da idolatria e, enfim, cedendo espaço àquele que foi símbolo de uma geração para que possa ser um homem — um ser humano — e não uma espécie de deus intocado.

Manish Pandey, que assina o roteiro, prioriza o equilíbrio entre as virtudes e os defeitos do maior piloto da história (para mim e para tanta gente) e a edição da dupla Chris King e Gregers Sall arremata o trabalho ao agilizar a narrativa unindo o áudio dos depoimentos com imagens de arquivo. É tudo tão eficiente que até mesmo os minutos finais, que seriam passíveis de uma negação por trazerem algum melodrama, são tão bonitos e prestam uma homenagem tão válida e sincera que, no final das contas, “tudo vale a pena quando a alma não é pequena” (diria Fernando Pessoa).

Senna pode ser alugado ou comprado na PlayStation Store, Claro Video, Looke, Play Store e iTunes.

5. Rush: No Limite da Emoção (Rush)

Eu não nego que sou absolutamente fascinado por este filme. Recentemente, quando escrevi sobre ele – logo após a morte de Niki Lauda –, finalizei com: "É quando um filme consegue ser tão intenso como entretenimento e tão legítimo quanto arte e provocação que ele consegue abraçar o espectador com o maior carinho possível. Rush: No Limite da Emoção é esse abraço eterno de Niki Lauda e recheado de um impulsivo beijo de James Hunt... mas centrado na vida". Para quem é fã de automobilismo, velocidade e cinema, para mim, esse é o filme mais poderoso da lista.

Rush: No Limite da Emoção pode ser assistido pelos assinantes do Globoplay.

Agora, ficam aí os comentários. Foi uma dor não citar alguns filmes, mas tenho certeza que vocês vão conseguir complementar e enriquecer tudo o que está aí. E, de repente, a gente pode aumentar esses cinco para 10, 15, 20...

Bons e ruins filmes para nós!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: